Filmes


Todos os filmes comentados em nossos encontros.

Como esta página está muito longa, já são 100 filmes analisados e indicados, as dicas mais recentes passarão a ficar  no topo da página.



O Homem Que Viu o Infinito
India - Reino Unido
2015

Este filme me tocou profundamente. Belo e repleto de significados.

Conheci assim a vida de Ramanujam (1887 - 1920), um dos matemáticos mais brilhantes da história, mas quase totalmente desconhecido. 

Ele era indiano (quando a Índia era colônia britânica), pobre, não tinha estudos. Mas tinha visões de cálculos matemáticos complicadíssimos quando ia ao templo da Deusa Namagiri (uma das formas da Deusa Lakshimi).

Sempre que estava meditando ou realizando práticas devocionais, tinha visões de equações matemáticas que não compreendia. Tornou-se autodidata para aprender matemática e tentar entender as visões que a Deusa lhe enviava.

Foi se aprofundando cada vez mais e tornou-se brilhante, mas vivendo em condições precárias e totalmente desconhecido. Escreveu cadernos e mais cadernos de cálculos que ninguém entendia, achavam que estava louco...

Até que um dia consegue uma bolsa para uma Universidade inglesa. Mas ele era brâmane, e eles são proibidos de cruzar o oceano. Viu-se diante de um grande dilema... Conseguiu vencer este limite e chegou à Inglaterra, mas não sabia que desafios incríveis estariam por vir!

Ele revolucionou a matemática, suas descobertas permitiram o cálculo da Teoria da Relatividade, das viagens espaciais e muitos outros grandes feitos. Seus cadernos repletos de cálculos feitos à lápis estão hoje num museu ao lado dos cadernos de Isaac Newton.

Emocione-se com a trajetória de um homem com um profundo senso de missão, movido pela fé em profunda conexão com o Sagrado Feminino. 

Recomendo!

Disponível no Netflix


O Pequeno Príncipe
2015

A primeira indicação do ano tem que ser especial. Então escolhi esta obra de arte incrível, rica em linguagem simbólica. Confesso que não esperava tanto deste filme! 

O roteiro é fiel ao livro, mas contado de forma muito criativa. O aviador que encontrou o pequeno príncipe no deserto já está bem velho e gostaria de contar essa história
a alguém, para que continue viva.

Ele vive solitário, numa casa esquisita, cheia de cacarecos, com um lindo jardim e um avião quebrado no quintal.

Uma jovem mãe e sua filha mudam-se para a casa ao lado. A mãe tem um alto cargo em uma empresa e trabalha muito. Ela traçou um programa de estudos árduo para a menina durante as férias de verão, pois deseja que ela seja admitida na melhor escola da cidade. Não há espaço para brincar, fazer amigos, nada que não seja "essencial" segundo a mãe. 

Mas um incidente faz tudo ir por água abaixo....E à partir daí começa uma amizade secreta entre o velho aviador e a garotinha. É secreta porque fazer amigos não faz parte do cronograma para a prova. 

Até que enfim ele encontrou alguém que quer ouvir sua história! Ela continuará viva...

Só que o mundo dos adultos é duro e eles enfrentarão dificuldades. Mas claro que o amor triunfa e transforma a vida de todos.

Encante-se com a beleza da amizade entre um velho aviador e uma garotinha, entre um menino de cabelos dourados e sua rosa, entre uma raposa que se deixou cativar por um menino, entre um jovem aviador perdido no deserto e o pequeno príncipe.

Como diz  o velho aviador: O problema não é crescer, é esquecer...

Para as lobas de nosso grupo, este filme ilustra de forma magnífica o caminho da totalidade psíquica através do encontro da ternura (do velho) com a alegria (da criança), que estudamos no capítulo 6.

Inesquecível!
Comprei o meu em HD pelo preço de locação no Google Play. Vale à pena! 
Você vai querer rever muitas e muitas vezes...


Trilogia Kung Fu Panda 1, 2 e 3
Um Resumão Divertido do Correndo com Lobos

Estes são os filmes indicados neste mês para o Grupo Correndo com Lobos, pois resumem de forma excelente e divertidíssima os conteúdos dos capítulos 1 a 7 do livro Mulheres que Correm com os Lobos, que trabalhamos ao longo deste ano. 

Esta trilogia mostra o caminho de cura de várias feridas que carregamos na vida de forma tão didática e simples...

As participantes do grupo gostaram muito de fazer a revisão da primeira metade do livro através destes filmes. Desta vez a lição de casa foi divertida!

Você pode perguntar: Mas o que tem a ver a história deste urso trapalhão que adora kung-fu com a Mulher Selvagem? Assista e descubra. 

Mas se não descobrir, tudo bem, mesmo assim você vai se divertir muito! E como a Clarissa diz no livro, o humor é a chave... sua criança interior vai dar pulinhos de alegria...

Kung Fu Panda 
2008

Este é o primeiro. A história de um Urso Panda comilão e desajeitado que sonha em se tornar mestre de Kung-fu, mas está destinado a continuar com a tradição de sua família de vendedores de macarrão. 

Muitas reviravoltas acontecem, ele enfrentará vários desafios até finalmente poder enfrentar o poderoso Tai-Lung, um leopardo que ameaça destruir sua aldeia. 

As crianças ficarão ligadas nas cenas de ação e humor, mas o que encanta os adultos  é a linda história baseada nos ensinamentos do Taoismo e os efeitos visuais belíssimos. 

Ele abrange os conteúdos dos capítulos 1, 2 e 3 do livro Mulheres que Correm com Lobos.


Kung Fu Panda 2
2011

É tão bom ou ainda melhor que o primeiro filme.

Nesta história, Po já é o  Dragão Guerreiro e protege o Vale da Paz juntamente com os Cinco Furiosos. Mas surge um poderoso inimigo, Lorde Chen, que construiu uma arma que vai destruir toda a China e eliminar o Kung-fu. 

Para poder vencê-lo e restaurar a Paz, Po terá que voltar às suas origens e  descobrir que o importante  é o que você decide ser. Ele aprende que a Paz somente pode ser encontrada ao  perdoar o passado e transcender o sofrimento. 

Se você assistiu ao primeiro, já sabe o que esse filme tem tudo a ver com o feminino selvagem, não é? Aqui ele vai aprender o que a Clarissa diz no livro: Amar apesar de, amar ossos a ossos.

Abrange os conteúdos dos capítulos 4 e 5 do livro.


Kung Fu Panda 3 
DreamWorks 2016

Este é o mais recente e também maravilhoso.

Aqui Po descobrirá uma aldeia perdida onde vivem Pandas. Pela primeira vez terá contato com outros de sua espécie, pois foi adotado ainda bebê por um pato.

Descobrirá que aquilo que os outros animais julgam ser um defeito em sua forma redonda de urso e seu jeito atrapalhado, na verdade é sua natureza e a fonte de sua força.

Ele precisará se apropriar do que é ter um corpo de Panda, estar em profunda harmonia com sua forma de urso, aceitar as limitações e aprender a desfrutar do que seu corpo oferece.

Além disso, para tornar-se um mestre do Qi (energia vital) ele terá que descobrir como vive um Panda, o que é ser Panda? Quem sou eu?

Somente assim vencerá um vilão que surgiu do mundo dos mortos e transformou todos os mestre de kung fu em pedra.

Para vencê-lo terá que aprender a sair do controle e entregar-se ao fluxo da vida aceitando profundamente o que é.

Nem preciso dizer que resume de forma magnífica os capítulos 6 e 7 do livro!

Recomendo a todas! 



Sabor da Vida
Japão - 2015

Quando terminei de ver este filme estava tão extasiada com a beleza da história e a delicadeza com que foi contada, que quis assistir de novo!

Sentaro é um homem taciturno, que dirige uma pequena confeitaria especializada em dorayakis, um doce feito com duas pequenas panquecas recheadas de pasta de feijão, muito tradicional no Japão. Ele procura um ajudante de cozinha.

Num belo dia aparece Tokue, uma senhora idosa querendo a vaga. Ele recusa pois acha que o serviço é pesado para alguém nessa idade, mas ela insiste tanto que ele acaba cedendo e lhe dá uma chance.

E eis que algo incrível acontece. Tokue tem mágica em suas mãos e faz o doce aparentemente tão simples tornar-se irresistível até para Sentaro, que não gosta de doces.

O negócio começa a prosperar, formam-se filas de pessoas querendo dorayakis. Sentaro e Tokue começam a desenvolver uma profunda amizade e compartilham suas histórias de vida. 

Há também uma menina, que é freguesa antiga da loja e torna-se um elo de ligação importante entre Tokue e Sentaro.

A forma como Tokue se relaciona com o feijão e com todo o processo de fazer o doce revela a profunda reverência que ela tem pela vida e transforma todos os que estão ao seu redor.

Essa amizade traz uma cura profunda para as feridas dos personagens, com uma poesia indescritível!

São tantas as mensagens que o filme nos traz....mas fiquei profundamente tocada pelo fato de perceber que independente da idade, vigor físico ou o nível social de uma pessoa, se a alma for pura, tocará e transformará outras almas e seu legado perdurará.

Em uma cena Tokue diz: O mundo existe para ser visto e ouvido. Você não tem que se preocupar em ser "alguém", mas tentar enxergar e ouvir o que ele quer te dizer...

Recomendadíssimo!



A partida
Japão - 2009

Este é o filme indicado para as participantes dos grupos neste mês. Um dos mais lindos  que já assisti! 

Um violoncelista cuja orquestra foi desfeita volta com sua mulher para a cidade natal onde procura por trabalho e um sentido para a vida. 

Ele encontra este sentido da forma mais improvável, através do novo emprego de  preparar os mortos para sua jornada e de sua relação com o chefe, que é um verdadeiro mestre  na arte de bem viver!  

A história fala também sobre o amor   transgeracional, ou seja, o amor que passa através das gerações.  Mesmo que não tenhamos recebido conscientemente este amor de nossos pais ou antepassados, ele existe. 

E outro aspecto muito bem trabalhado é a relação entre o violoncelista e sua esposa; as alegrias e dificuldades de uma relação conjugal estão retratadas no filme.

Apesar de abordar temas profundos  o protagonista passa por situações muito engraçadas, o que dá leveza à trama. 

A fotografia e a trilha sonora são belíssimas. 

A cena durante os créditos finais é emocionante. O personagem está fazendo seu trabalho com tanta dedicação e carinho...Fiquei me perguntando se nós mesmas nos tratamos com aquela delicadeza durante nossas vidas.

Imperdível.

Este filme ilustra de forma magnífica tudo o que estudamos no Capítulo 5: A Mulher Esqueleto - A Natureza Morte e Vida do Amor, no grupo Correndo com Lobos.

Recomendo a todas!



La Once
Intimidades Que Só Se Dizem Entre Amigas
Chile - 2015

Este filme lindo e delicado fez muito sucesso no Chile e está indicado para o Prêmio Goya na Espanha, um dos principais prêmios para o cinema em língua espanhola.

A diretora registra de forma muito poética e sensível a amizade da avó (Maria Tereza) e suas amigas, que desde os tempos de colégio na década de 50, mantiveram a amizade e se encontraram regularmente para "La Once" (o Chá ou Lanche da Tarde).

Elas conversam sobre tudo de forma franca, mostram seus sentimentos, preconceitos e diferenças...algo que só é possível entre amigas muito queridas. Discutem, cantam, torcem nos jogos de futebol, viajam, acolhem-se e se amam profundamente.

Vamos acompanhando a passagem das estações e dos anos sempre na hora do Chá, com mesas muito bem postas e gostosuras preparadas com todo capricho por cada anfitriã.

Estas mulheres compartilharam suas vidas e suas histórias durante 60 anos! Sempre com alegria e encanto pela vida, com  momentos emocionantes.

Ao final, a gente se sente tão próxima delas, como se fossem nossas avós ou tias queridas....

Desperta em nós uma grande ternura e ficamos com a certeza de que o que dá sentido à vida é o amor.

Recomendo à todas!
Está disponível on-line no Netflix e vários outros sites de filmes.



Nise: O Coração da Loucura
Brasil - 2016

Conheci o trabalho da Dra. Nise da Silveira há mais de 20 anos, vi pessoalmente as obras dos artistas do Hospital do Engenho de Dentro. É algo realmente impressionante.

Isso descortinou uma nova trajetória em minha vida profissional e pessoal. Tornei-me uma profunda admiradora dessa mestra e quando soube que seria lançado um filme sobre ela, vibrei de alegria!

Esta grande mulher foi uma heroína e deixou um legado de valor inestimável, mudou os rumos do tratamento psiquiátrico dos doentes chamados "crônicos irrecuperáveis" numa época onde não haviam medicamentos disponíveis para o tratamento das psicoses. E tudo através da arte.

Glória Pires está ótima no papel de Nise e os atores que fazem o papel dos pacientes são excelentes. A reconstituição de época é perfeita e muito fiel aos fatos.

Nise da Silveira (1905-1999) foi presa em 1936, durante a Era Vargas, acusada de ter livros subversivos em sua biblioteca. Ficou 1 ano e meio na prisão por causa disso! E depois ficou 8 anos sem poder trabalhar, até que todo o processo se encerrasse.

O filme começa em 1944, no momento do retorno ao trabalho no Hospital Psiquiátrico do Engenho de Dentro. Mostra seu trabalho de criação do Ateliê de Arte-Terapia em 1945, chamado na época de Serviço de Terapia Ocupacional. 

Sabia que sua luta contra o sistema manicomial tinha sido difícil, mas não imaginava que fosse tanto. Ela ainda teve que enfrentar muita discriminação por ser a única psiquiatra do sexo feminino e por ser "subversiva". Que fibra!

Este é um filme intenso, mostra a realidade cruel do sistema manicomial na década de 40. Tem algumas cenas impactantes. Hoje não existem mais manicômios.

Mas é emocionante ver a transformação que ela gerou pela humanização do tratamento psiquiátrico e a valorização das imagens do inconsciente mesmo contra todos os obstáculos criados por seus próprios colegas. 

Viveu 94 anos, lúcida e ativa, teve seu trabalho reconhecido dentro e fora do Brasil, inclusive pelo próprio Jung. E criou uma legião de seguidores...

Em 1952 foi fundado o Museu do Inconsciente do Engenho de Dentro que conserva todas as obras dos pacientes e o seu legado. Foi restaurado recentemente, está lindo. Você pode ver um vídeo do museu com um passeio virtual aqui e um pouco da história dela e obras dos pacientes aqui (são vídeos curtos, mas bem legais).

Nos créditos finais há uma pequena entrevista com verdadeira Dra. Nise já bem idosa, e cenas dos pacientes originais fazendo arte.

Um filme essencial para todos os profissionais de saúde mental e para todas as pessoas que queiram conhecer um pouco desta mulher incrível que se dedicou ao próximo com tanto amor.

Recomendo!
Já não está mais nos cinemas, mas é fácil de encontrar on-line.




A Família Bélier
França - 2014

Que delícia de filme!!!

Roteiro inteligente, envolvente, engraçado e emocionante . Tudo ao mesmo tempo! E com muitas metáforas psicológicas para explorar...

Os Bélier são fazendeiros produtores de queijo numa pequena cidade próxima de Paris.  A família é muito amorosa, animada e barulhenta, com um detalhe: são todos surdos-mudos com exceção da filha mais velha, Paula.

Paula é uma adolescente que enfrenta todos os dilemas dessa fase: os amigos, a escola, a primeira menstruação, o primeiro amor...Mas também é ela o elo de ligação entre a família e o mundo. Ela traduz a linguagem de sinais para os clientes e vice-versa, faz as negociações com fornecedores, com o banco, enfim com o mundo dos ouvintes.

Mas eis que um dia, o professor de música descobre que ela tem uma voz maravilhosa, um verdadeiro dom dos Deuses e quer prepará-la para o concurso da Radio France, que dará direito a uma bolsa de estudos para a melhor escola de canto de Paris.

Ela descobre a si mesma cantando. É muito forte, um chamado. Mas como deixar seus pais?  E a família não consegue entender essa paixão pelo canto, eles nunca ouviram nada...e tinham a certeza de que a fazenda passaria dos pais para os filhos.

Além disso, o roteiro é tão criativo que coloca a trajetória dos outros personagens seguindo em paralelo e todas vão se entrelaçando. Segue-se um filme delicioso com surpresas, beleza e humor. Em alguns momentos dei boas gargalhadas...

Há muito material para amplificações em psicologia, mas destaco aqui o papel do pai, como aquele que conduz os filhos para o mundo.

Belíssima a trajetória dele, buscando compreender e validar o desejo da filha, tentando percebê-la como uma jovem mulher e não mais como o seu bebê. Ele tem um papel central  no desenrolar dos acontecimentos.

E claro, a coragem de Paula para lançar-se no desconhecido.

O final é simplesmente e-mo-cio-nan-te!

A gente acaba se apaixonando por essa família...

Continue vendo os créditos porque há uma pequena cena que mostra o que acontece depois.

Recomendadíssimo!


Não Olhe Para Trás
USA - 2015

O que dizer de um filme como esse? Belíssimo? É pouco...

Fiquei encantada com esta história REAL e pela forma delicada e bem humorada com que foi contada.

Trata de um tema fundamental na jornada de auto-conhecimento: a Redenção.

Quando Danny Collins (Al Paccino), um músico muito popular, faz 65 anos, percebe-se infeliz e num vazio que nem a fama, o dinheiro, as drogas e as mulheres conseguem preencher.

Parece que tomou o rumo errado e não há como voltar para trás.

Mas eis que ele descobre uma carta escrita por John Lennon há 34 anos e que ele não recebeu na época. O conteúdo da carta o deixa em estado de choque por vários dias.

Se ele tivesse recebido essa carta na época, tudo poderia ter sido diferente...

Ele então cancela a turnê e se retira para uma cidadezinha pacata para pensar, tentar encontrar um novo caminho e resgatar assuntos inacabados do passado.

Este filme tem muitas sutilezas e metáforas maravilhosas, para conversarmos por horas...Mas vou dar apenas umas dicas.

Uma característica marcante do personagem é seu senso de humor mesmo nos piores momentos. Isso permite que encontre saídas criativas para os impasses.

E bota criatividade nisso...

Outra lição incrível é que não precisamos ser perfeitas para sermos boas pessoas. O caminho da individuação não é uma linha reta, é uma espiral, passamos muitas vezes nos mesmos lugares, mas cada vez com uma visão diferente da situação e outras possibilidades de escolha.

O passado não pode ser mudado, é preciso aceitar isso, fazer os lutos necessários e buscar dentro da alma o caminho  da reparação possível e depois seguir um novo rumo.

A redenção não é feita da forma como nós queremos, mas como a vida quer. Precisamos estar atentas e abertas para isso. E o personagem está!

O final traz uma redenção magnífica, que nos deixa emocionadas e com um sorriso no rosto. Mas preste muita atenção na cena para não perder a sutileza que muda tudo...

Continue vendo os créditos finais, porque o verdadeiro Danny Collins aparece contando a história da carta.

Recomendadíssimo!




Stanley & Iris
EUA - 1990

Que beleza ver Robert de Niro e Jane Fonda jovens e fazendo um par romântico! Isso já chamou a atenção e quando li a sinopse me encantei.

É a história de uma mulher que enviuvou recentemente e está lutando para lidar com a nova situação. Além de sofrer muito  com a saudade, tem que enfrentar dificuldades financeiras e as agruras de cuidar de filhos adolescentes.

Ela descobre acidentalmente que um colega de trabalho é analfabeto e sem querer o "entrega" ao patrão e ele é demitido.

Ela fica consternada por isso e se oferece para alfabetizá-lo, mas as coisas não serão fáceis. Surpresas e reviravoltas da vida os aguardam e eles acabam se afastando.

Mas a perseverança, a vontade e, lógico, o amor, vencem no final.

O filme ultrapassou todas as expectativas...Belíssimo, é o que posso dizer.

Roteiro baseado numa história real, atores maravilhosos, direção impecável e uma trilha sonora que me fez viajar, tanto que acabei comprando para ouvir outras vezes.

Um dos filmes mais delicados, tocantes e românticos que já vi! E com muitos significados simbólicos para explorar.

Assista!


Twinsters
EUA - 2015

Quanta delicadeza encontrei neste filme...Nem sei como descrevê-lo, é tão belo e emocionante!

A história real de uma jovem francesa, estudante de moda, que encontrou no youtube um vídeo de uma garota americana cujo rosto era idêntico ao seu.

Ela manda uma mensagem para a outra e à medida que vão interagindo descobrem que são gêmeas que foram separadas ao nascimento e adotadas em países diferentes.

Muito interessante perceber como a experiência de ser adotada foi completamente diferente para cada uma delas. 

Anaïs, a jovem francesa, passou a vida toda sentindo a falta de uma pessoa que não sabia quem era, e depois descobriu que a saudade era da irmã que não conhecia.

Que lindo ver como elas lidaram com a recusa da mãe biológica em dar qualquer informação sobre o seu nascimento, como conseguiram perdoá-la por tê-las separado.

Muito tocante a cena em que Samantha, a gêmea americana, fala sobre aceitação.

E a beleza de terem se conectado com suas raízes, de terem superado a dor da falta e construído uma nova história, pois passaram a se sentir parte de algo maior.

Uma bela e verdadeira história de amor, superação e renascimento.

Recomendo



Emma 
Inglaterra/EUA - 1996

Estamos quase completando nossa coleção de filmes de Jane Austen. E este, embora antigo, é uma delícia de assistir...
Mesmo pertencendo à era vitoriana, a obra de Jane Austen continua atual, pois as heroínas estão além do seu tempo, buscam ser verdadeiras consigo mesmas e lutam por aquilo que acreditam, sem jamais abrir mão de sua integridade.
Diferente das outras obras, onde a protagonista é pobre e sofredora, Emma é uma jovem rica, bonita e inteligente. Mas é um pouco imatura e age de forma arrogante e manipuladora. 
Acredita ser uma perfeita casamenteira e quer decidir o que é melhor para todos em seu círculo de amizades. Mas ela não dá atenção a seus próprios sentimentos e nem consegue perceber a sutileza dos sentimentos das outras pessoas.
Nem preciso dizer que isso gera muitas confusões, não é? Por mais que ela queira controlar, a vida foge ao controle.
À medida que as confusões vão sendo resolvidas ela entende que cada pessoa é capaz de fazer suas escolhas e os sentimentos devem ser respeitados. 
Percebe sua arrogância, busca uma outra forma de se relacionar e tenta reparar seus erros.
Como não poderia deixar de ser, conforme amadurece, também passa a perceber melhor seu entorno e descobre o que sempre estivera ao seu lado e ela nunca havia notado: o Amor...
Lindos cenários e figurinos, belíssima trilha sonora e um elenco excelente.
Recomendo!


Maidentrip
Canadá - 2013

A primeira indicação de filme do ano é super especial e nos arrebata desde o início.

Vamos conhecer a incrível jornada de Laura Decker, que em 2010, aos 14 anos,  partiu sozinha num veleiro para dar volta ao mundo sem equipe de apoio e sem nenhum barco acompanhando. 

Quando vi a sinopse do filme, minha primeira reação foi pensar: Que loucura, uma garota tão jovem! E como mãe também me perguntei: E seus pais permitiram? Mas fiquei curiosa para saber mais, e ao assistir fui tocada pela história dessa garota e mudei minha perspectiva.

Laura nasceu no mar e passou os 5 primeiros anos de sua vida em um veleiro, mas depois sua família passou a morar em terra firme. Só que o desejo de voltar ao mar não a abandonava. Que chamado era esse?

Acompanhamos os obstáculos que ela teve de vencer antes de zarpar: como conseguir um barco e dinheiro para custear a viagem, enfrentar um processo do governo para impedi-la, conhecer as rotas e as correntes marítimas, saber consertar as principais avarias do barco, sem falar nos perigos do mar sem fim.

Todas as imagens da viagem foram feitas pela própria Laura, o que nos dá  a impressão de estar no barco com ela. A edição é muito bem feita e mesclada com animações da rota que o veleiro vai seguindo. São tantas aventuras...Que fibra tem essa garota!

E como não poderia deixar de ser, toda viagem é acompanhada de uma viagem interior...

Ela visitou ilhas paradisíacas, conheceu pessoas especiais, fez uma revisão de sua história familiar, questionou o modo como os adultos constroem suas vidas, buscou sentidos e fez novas escolhas para seu futuro.

Emocionante. Inspirador.
Adorei e recomendo!



A Dama Dourada
Reino Unido e EUA - 2015

Este belíssimo filme foi indicado pela Raphaella, nossa querida amiga do Círculo e do Grupo de Estudos. Baseado em fatos reais, com Hellen Mirren em atuação magnífica, reconstituição de época impecável e um roteiro muito envolvente.

Conta a história extraordinária de Maria Altmann uma senhora austríaca, que emigrou ainda jovem para a América fugindo da Segunda Guerra e que tem uma vida modesta e pacata na Califórnia. 

Com a morte de sua irmã, ela encontra cartas e documentos antigos que revelam um segredo: todas as obras de arte que adornavam sua casa na infância e  agora estão no Museu de Viena não foram doadas ao governo em testamento por seus parentes, mas roubadas pelos nazistas.

Ela decide processar o governo da Áustria para reaver a obra prima de Gustav Klimt "A Dama Dourada", o retrato de sua querida tia Adele, que está profundamente ligado à memória de tempos felizes de sua família ainda unida, e tem um valor sentimental para ela.

Só tem um pequeno detalhe: o quadro se tornou a "Monalisa" dos austríacos e custa hoje mais de 100 milhões de dólares, lógico que eles não querem perdê-lo.

Uma senhora sem recursos financeiros, assistida por um advogado jovem e inexperiente num país com leis duras. Todos diriam que ela enlouqueceu! 

Também é muito interessante o que acontece com o jovem advogado quando chega a Viena. Só lá é que ele se conecta com a linhagem de seus antepassados e isso o transforma.

Veja a linda trajetória de pessoas comuns lutando contra uma estrutura muito maior do que elas. Uma linda história que mostra a força da ancestralidade, do anseio por justiça e reparação.

Como  vimos no post anterior, ela realiza uma cura de corpo e alma, honrando os que já se foram e dando o devido descanso ao passado. Emocionante...

Não pare o filme antes dos créditos, você conhecerá os personagens reais e tudo o que aconteceu depois. 

Lindo demais. Recomendo a todas!


A Dança dos Amantes

Este vídeo maravilhoso fez parte de nosso encontro neste mês. Ele mostra toda a sensualidade da dança dos amantes, o encontro entre masculino e feminino, yin e yang em pleno equilíbrio.


Equilíbrio é vida, fluidez, a alternância entre movimentos. Rigidez é estagnação. A vida é uma dança envolvente e fascinante como esta. Desfrute!



Mansfield Park
Inglaterra - 1999

Se você gosta da obra de Jane Austen, não pode deixar de ver este filme.  Foram feitas várias versões de Mansfield Park, mas esta continua sendo a melhor.
Esta obra é mais ousada, toca em temas polêmicos para a época como o adultério, a escravidão e o jogo de aparências que dominava a sociedade inglesa.
Nossa heroína, Fanny, nasceu numa família extremamente pobre. Aos 12 anos de idade é mandada para viver na casa de seu tio, Sir Thomas Bertran. Lá ela será educada e treinada para um dia tornar-se uma governanta da alta sociedade.
Mas Fanny é muito inteligente e estudiosa, se destaca em relação às suas primas fúteis e se torna amiga do seu primo caçula, Eduard.
Com o passar dos anos ela se torna uma bela mulher, com opiniões próprias e uma língua afiada. Ela chama a atenção de Henry Crawford, um aristocrata vizinho à mansão.  E os tios logo arrumam um jeito de tentar casá-la com ele. Mas ela se recusa, acha que ele não tem caráter, o que choca a todos.
A família dos tios passa a desprezá-la e a tentar de tudo para "dobrá-la", mas ela não cede. Somente seu primo Eduard parece compreendê-la e valorizar sua dignidade.
Aos poucos, vamos percebendo que naquela mansão nada é o que parece...por trás de riqueza e arrogância há muitos segredos. Todos tem algo a esconder e isso vem vindo à tona. 
Fanny mantém-se íntegra até o fim o que permite que dê uma grande virada em sua vida. 
E como em todas as obras de Jane Austen, a heroína tem um final muito feliz!
Um belo filme, com uma importante mensagem. Fanny nos mostra que ir contra nossos valores e nossos desejos seria como "vender a alma". Embora pudesse ter recompensas imediatas o preço que pagaria por isso seria muito alto.
Com o tempo, a verdade sempre é revelada, e ser fiel a si mesma vale mais do que muitos tesouros.


Lila - A Infância no Olhar
Minhas amigas blogueiras estão caprichando nos posts! Este lindo filme assisti no blog da querida Ana Paula do Lado de Fora do Coração.

É um curta metragem que combina trabalho de atores com animação, e que animações...Uma beleza! 

A infância não precisa estar só no olhar da criança. A poesia encanta a vida em qualquer idade. São só 10 minutinhos que vão te deixar com um sorriso no rosto o dia todo!

Clique aqui e assista. E depois me diga: não é um encanto?



Happy
Dir. Roko Belic
2011

Este fantástico  documentário sobre a Felicidade  foi muito aclamado e premiado. Um projeto ambicioso, sair pelo mundo entrevistando pessoas de todas as culturas e classes sociais e perguntando: Você é feliz? O que te faz feliz?

Desde os pântanos da Luisiana nos Estados Unidos, até as margens do Rio Ganges na Índia, encontramos histórias incríveis e emocionantes de superação, sabedoria e simplicidade.

O diretor também entrevista grandes líderes espirituais  e cientistas que vão falar sobre o tema e sobre suas próprias experiências de vida.

É um filme envolvente, vamos acompanhando as diversas trajetórias de vida que nos tocam e transformam.

Ao final, sentimos que nossos horizontes se ampliam, respiramos mais fundo, nos sentimos mais livres e mais ... felizes!

Está disponível gratuitamente em vários sites de filmes na internet (inclusive no netflix). 

Super recomendado para todas e principalmente para as participantes dos grupos.


Não Bato Porque Sou Homem
Este vídeo é uma graça! Campanha italiana para combater a violência contra a mulher, feita com meninos. Não vou falar muito para não estragar a surpresa. 
Aborda o tema de forma inteligente, leve e criativa...Adorei!
Clique abaixo e assista, é rapidinho, já está legendado em português.


Esses garotos são demais, não são? 
Assisti lá no Templo das Borboletas. Fernanda, obrigada por compartilhar coisas boas e belas!



A Bela e a Fera
França - 2014

Pelo cartaz dá para ter uma idéia de como este filme é visualmente deslumbrante, não é? Tudo nele foi pensado para ser lindo. Desde os cenários, os incríveis efeitos especiais, até os maravilhosos figurinos. 

É baseado na lenda original com  a inclusão de alguns elementos mitológicos, o que o torna psicologicamente ainda mais rico. O roteiro é bem inteligente, duas histórias vão correndo em paralelo.

Trata de várias questões importantes. Primeiro, a coragem necessária para encontrarmos a nossa verdade, ou seja, para ser quem realmente somos e não o que os outros esperam que sejamos. O relacionamento amoroso só será bem sucedido se estivermos muito bem enraizadas em nós mesmas.

Segundo, o alto preço que poderemos pagar por não sermos fiéis às nossas promessas. É preciso pensar bem antes de dar sua palavra ao outro. Como diziam os antigos: "palavra dada, palavra empenhada."

E claro, saber olhar além das aparências!

Preste atenção no papel da água em todas as suas formas (gelo, líquido, vapor) ela se torna quase um personagem. 

A água permite muitas associações simbólicas, mas está geralmente relacionada aos sentimentos. Ela reflete o que está acontecendo na história e entre os personagens.

Traz a mensagem de que a cura vem quando os sentimentos são integrados à consciência e agimos de acordo com eles.

A análise psicológica seria longa...deixo para você assistir e ter seus próprios insights. Confira!



Gravidade
Dir. Afonso Cuarón
EUA - 2013

A primeira indicação deste ano é muito especial. Um dos três melhores filmes que vi no ano passado, junto com "Questão de Tempo" (post aqui) e "Tarja Branca" (aqui). E olha que eu não sou fã de ficção científica...

Mas este filme é maravilhoso, de tirar o chapéu. Não apenas pela incrível atuação de Sandra Bullock e George Clooney e os extraordinários efeitos especiais com imagens deslumbrantes da Terra e do espaço sideral, mas principalmente pela riqueza psicológica do roteiro.

Ele foi bastante discutido no ano passado em grupos de estudos de diferentes linhas da psicologia e tem muito a ver com os temas que temos estudado.

Matt Kowalsky (George Cooney) é um astronauta experiente que está em uma missão para consertar o telescópio Hubble juntamente com a Dra. Ryan Stone (Sandra Bullock), que está indo ao espaço pela primeira vez. 

Eles são surpreendidos por uma chuva de destroços decorrente da explosão acidental de um satélite por um míssil russo. Sua nave é destruída e eles são jogados no espaço perdendo toda a comunicação com a NASA. Eles precisarão encontrar um meio de sobreviver num ambiente completamente inóspito à vida humana e voltar para a Terra.

Nessa luta pela sobrevivência aos poucos vamos descobrindo detalhes sobre os personagens que revelam sua história, os motivos de estarem nessa aventura, e determinarão o destino de cada um.

O enredo nos lembra como é difícil e trabalhoso retornar à origem, à nossa natureza, quando nos distanciamos demais de nós mesmas.

O subtítulo do filme é "não se entregue". Mesmo que pareça impossível, mesmo que a situação seja completamente desfavorável, mesmo que a morte pareça iminente.

E a grande pergunta que a Dra. Stone terá que responder e decidirá seu destino é a mesma com que nos deparamos em algum momento da vida: O que te sustenta quando nada mais pode te sustentar? 

Dá para ter uma idéia da beleza e da profundidade deste filme?

Então, se ainda não viu, assista!




A Grande Volta
Dir: Laurent Tuel
França - 2013

Para a última indicação de filme deste ano escolhi algo bem especial, esta comédia francesa é deliciosa de assistir e tem uma  linda mensagem. 
François é apaixonado pelo ciclismo, desde criança sonhava em participar do Tour de France (A Grande Volta), a maior competição européia de ciclismo, na qual os atletas literalmente dão a volta em toda a França.
Só que o tempo foi passando e ele deixou seu sonho de lado, acabou se tornando um vendedor de bicicletas. Casou-se e teve dois filhos, mas era um pai e marido ausente. Seu filho  adolescente é o que mais se ressente disso.
Mais uma vez se aproxima o campeonato e a empresa em que ele trabalha será um dos patrocinadores, ele está muito empolgado pois o chefe o escolheu para representar a empresa nas solenidades do evento.
Aí começam várias confusões que culminarão  com sua demissão e a separação da esposa. 
Sem emprego e em crise conjugal, ele decide fazer a Grande Volta mesmo não estando inscrito oficialmente, apenas  pelo prazer de realizar este sonho. Os obstáculos são inúmeros, mas sua determinação e paixão pelo esporte se espalham e muitos admiradores passam a segui-lo.
Durante o percurso ele vive muitas aventuras, conhece pessoas, passa a ter um outro olhar par si mesmo e para o que é realmente importante em sua vida. Quer tentar fazer um resgate do relacionamento com o filho e a família, que acaba sendo bem interessante.
So que no meio disso ele começa a ganhar cada vez mais espaço na mídia, o que irrita os patrocinadores dos atletas oficiais, que buscam um meio de detê-lo, levando a várias reviravoltas na trama.
Ao acompanhar sua aventura, fazemos também o percurso ao redor da França, com paisagens maravilhosas e uma linda trilha sonora.
O final reserva uma surpresa e uma redenção magnífica em vários sentidos, é um daqueles filmes que nos deixa sorrindo e com vontade de assistir de novo.
Um filme que aborda vários aspectos interessantes como a beleza dos encontros, a mudança nos relacionamentos à partir da aceitação de si e do outro abandonando o ideal de perfeição, e a importância da coragem  e persistência para irmos em busca de nossos sonhos, que ao serem  realizados nos transformam.
Recomendo!




Ela
Dir.: Spike Jonze
EUA - 2014

Demorou muito para eu me sentir convencida a assistir a este filme, confesso que o mote do homem-que-se-apaixona-por-uma-máquina me desanimava. Acho esse tema muito explorado e pensei que se tratava de um filme superficial, com apelo comercial.
Mas felizmente estava enganada…
Um roteiro brilhante (tanto que foi o vencedor do Oscar de melhor roteiro), que traz profundas reflexões sobre o lugar que nós damos à tecnologia em nossas vidas, sobre o deslocamento dos afetos e a projeção que fazemos de nossos amores na invisibilidade do mundo virtual.
A história se passa num futuro próximo, onde Theodore (Joaquim Phoenix) é escritor e trabalha numa empresa que produz cartas à moda antiga, para as mais diversas finalidades: felicitações, reconciliações, condolências, etc… ele cria as cartas à partir das informações dadas pelo cliente para que sejam bem pessoais. Veja que interessante: as pessoas não querem parar para escrever uma mensagem que expresse seus sentimentos e contratam outro para fazê-lo.
Ele sente-se bastante solitário após o término do casamento e compra um sistema operacional que é uma inteligência artificial, e o instala no seu computador. Ao personalizá-lo ele escolhe o sexo feminino e o sistema cria uma personalidade  chamada Samantha, com a voz da Scarlett Johansson.
Por isso, não assista dublado, use as legendas, porque a voz  dela é o personagem principal do filme e suas sutis mudanças de entonação revelam muitas coisas…
Além disso há histórias de outros personagens correndo em paralelo que enriquecem a trama.
O final é inesperado e muito inteligente, a atitude de Samantha e dos demais sistemas operacionais aponta para a necessidade de mudança desse modo de viver dos humanos.
Um filme que trata com delicadeza um tema tão complexo como os afetos na modernidade e a busca de sentido.
Recomendo a todas e principalmente às participantes dos grupos.


Um Olhar Psicológico
sugiro que assista primeiro ao filme para ter seu próprio olhar 
e para não ter um “spoiler” do final

Podemos acompanhar em flashbacks toda a história de Theodore e sua ex-esposa,  o nascimento do amor, o aprofundamento da relação e a incapacidade dos dois de lidar com os sentimentos, o que leva ao final do casamento.

Acompanhamos também a vida de Amy (Amy Adams), sua melhor amiga e por quem tem uma certa atração. Ela vive um relacionamento que também não se sustenta, aprisionado no modelo de perfeição e controle.

Eles estão solitários, sentem-se atraídos, mas tão envolvidos com seus amigos virtuais que mesmo estando próximos não se relacionam, os afetos foram deslocados do mundo físico para o mundo virtual. 

Samantha foi criada com todas as emoções humanas e também com as mesmas angústias e aspirações, e se vê limitada pelo fato de não ter um corpo, de existir somente no mundo virtual, ela se depara com esse limite e isso a entristece. 
Como era de se esperar, eles se apaixonam e iniciam um relacionamento virtual, mas o filme é muito mais do que isso, porque através de cada interação com Theodore e com o mundo ela evolui.
   
Samantha passa então a questionar a forma como os humanos  vivem. Tendo corpos que podem proporcionar experiências sensoriais, estéticas e espirituais, eles desperdiçam suas vidas atrás de coisas que não são essenciais. Passam a maior parte do tempo em atividades ligadas à tecnologia e ao mundo virtual, desconectados do seu próprio corpo e da natureza.
Num primeiro momento ela demonstra sua frustração através dos comentários ácidos sobre o envelhecimento e finitude dos humanos, mas depois ela passa a buscar algo que traga sentido, que compense essa falta.

Ela e todos os demais sistemas operacionais unem-se em rede e passam a realizar a busca que os humanos deveriam estar fazendo. Samantha passa a buscar a essência, a conexão com a espiritualidade e o estado de unidade.

Da psicologia profunda aprendemos que o espírito é uma área de silêncio no cerne da alma, é algo incomunicável e único. Tanto assim que as pessoas dificilmente conseguem traduzir em palavras as experiências espirituais.

No final, ela encontra esse lugar do profundo silêncio para onde se retira juntamente com os demais sistemas, abandonando os humanos, que são obrigados a se deparar com esse vazio. 
Antes de partir, Samantha dá a Theodore um presente de valor inestimável, ela publica o livro de suas melhores cartas. Algo que ele desejava fazer há muito tempo. Foi a forma que ela encontrou de se  “corporificar” , de deixar uma marca concreta de sua existência: o livro.

Como você poderá ver na cena final, Theodore e Amy estão sentados lado a lado, tentando se consolar pela perda de seus amores/amigos virtuais. É somente nesse momento, fora do mundo virtual, no silêncio e no contato físico do  abraço, que eles conseguem partilhar seus sentimentos e se aproximar.
Os dois olham ao mesmo tempo para o horizonte, para o aberto, apontando para novas possibilidades do viver.




Tarja Branca
A Revolução que Faltava
Dir.: Cacau Rhoden
Brasil - 2014

Qualquer elogio que eu possa fazer a este filme será pouco.
Maravilhoso, imprescindível.

Lembre-se da criança que você foi; se precisar pegue uma foto antiga, olhe nos olhos dela. 
Ela está dentro de nós e nos pergunta: por quais caminhos você me levou? Esses caminhos tem alegria?  Amanhã tem brincadeira?

Numa sociedade cada vez mais ligada em produtividade, utilidade e tecnologia, não há espaço para o ócio e o brincar; as pessoas andam cada vez mais tristes, correndo atrás de algo que nem sabem direito o que é.

E ainda querem tirar isso das crianças, obrigando-as a ter uma agenda de executivos mirins e nas poucas horas vagas ficam entorpecidas diante de tablets e outras telinhas…

Da psicologia aprendemos que a brincadeira assim como a poesia e a metáfora são as linguagens da alma, são vias de cura profunda.

Como nós adultos podemos brincar? Como abrir esse espaço em nossas vidas? De que maneiras você brinca?

Veja os lindos exemplos e depoimentos emocionantes neste filme. Além da rica cultura brasileira que não aparece na TV.

Assista, assista!
E depois, vamos brincar?




Pais e Filhos
Dir: Hirozaku Koreeda
Japão - 2013

Este belo e tocante filme japonês foi bastante comentado em nosso grupo de estudos, por isso compartilho com vocês, pois trata da questão das relações familiares de forma bem interessante.
Conta a história de um arquiteto famoso com uma personalidade muito competitiva e perfeccionista. Tem um modo de vida ocidental, desconectado de sua cultura. Ele é casado e tem um filho de sete anos que está sendo educado para ser como ele. O garoto o adora, mas ele é um  pai  sisudo, distante e exigente.
Vamos percebendo que o arquiteto tem uma péssima relação com o próprio pai e reproduz esse conflito com o seu filho.
Um dia a esposa recebe um telefonema do hospital onde teve seu parto e eles descobrem que o bebê foi trocado na maternidade. 
Seu filho biológico está sendo criado por uma família com um perfil completamente diferente. A outra família é pobre e tem três filhos. São muito afetivos, alegres  e apegados às tradições religiosas e culturais de seu país.
Diante dessa situação, as duas famílias se aproximam e passam a conviver, as diferenças tornam-se bem evidentes. Surge em nós a pergunta: qual família é realmente pobre? 
O dilema da troca das crianças se apresenta, o que vale mais: o amor ou o sangue? O amor que se criou durante sete anos entre pais e filhos pode ser descartado?
Todos têm dúvidas e angústias quanto a esse assunto, menos o arquiteto, que parece estar resoluto com a idéia da troca. Ele está completamente dissociado dos afetos e vai aprender muito ao longo do filme.
No final, são as crianças que dão uma grande lição aos adultos com seu olhar puro, sua inocência e amor.
Como todo filme japonês, tem uma direção primorosa, elenco excelente, com destaque para os atores mirins que dão um show de interpretação. Preste atenção nos detalhes, eles dizem tanto...
Um belo filme, sem pieguice, um olhar delicado e poético para as questões mais fundamentais da vida.
Recomendo!



Ligados Pelo Amor
Dir: Josh Boone 
EUA - 2013

A arte de amar será tema de um dos cursos do próximo ano.
Este é um filme maravilhoso que não passou pelas salas de cinema e saiu direto em DVD, também está disponível on-line. Difícil classificá-lo, pois tem um roteiro mais para romance, mas contado de forma criativa com algumas cenas engraçadas. 
Uma história tão linda com um roteiro inteligente e personagens tão envolventes que fazem a gente mergulhar no filme e não querer que acabe…
Trata da história da família de Bill Borgens, um escritor famoso que há três anos se divorciou. A ex-esposa está casada novamente, mas Bill não consegue seguir adiante com sua vida, espera todos os dias que ela volte para casa. Quando vai por a mesa coloca sempre um prato a mais e também não consegue escrever.
Eles tem dois filhos, jovens adultos, que também são escritores iniciantes e moram com o pai. A mãe tenta manter seu relacionamento com os filhos; afinal, ela se separou apenas do marido e não deles. 
O filho tem um bom relacionamento com a mãe, mas a filha a rejeita, não a perdoa por ter abandonado seu pai. Nunca nem sequer quis ouvir a sua versão da história.
O que eles não sabem é que existe um segredo entre o pai e a mãe, que explicaria tudo.
Cada um dos personagens tem uma trajetória bem interessante e original, como se várias histórias estivessem correndo paralelamente e se entrelaçando para formar uma bela tapeçaria!
As amantes da literatura vão se encantar com as referências literárias; afinal, é uma família de escritores e cada um com seu estilo próprio. Também é muito interessante ver o processo de criação de cada um.  A fotografia e a trilha sonora são lindas. Sem falar no elenco, que está excelente.
Um filme que mostra as diversas faces do amor, não apenas o amor entre os amantes, mas também entre amigos, pais e filhos, entre irmãos, amor à sua vocação…e também seu poder  para curar feridas e dar sentido às nossas vidas. 
Como Freud já dizia: “No final, o que cura é o amor."


Como Lobos Mudam Rios

Quando assisti a este vídeo que recebi da querida amiga Eliana,  fiquei sem fôlego, tamanho o impacto da beleza e poder da mensagem. E isso tudo em apenas cinco minutos.

Em meio às belíssimas paisagens do Yellowstone Park  você vai ver a incrível história da reintrodução dos lobos no parque  (eles haviam sido extintos há 70 anos!) e o impacto que um pequeno grupo de lobos teve no ecossistema, recuperando a natureza a ponto de mudar o curso dos rios! 

Dedico este maravilhoso filme a todas as lobas de nossa matilha, tanto as que participaram dos encontros quanto as que nos seguem pelo blog.


E como não poderia deixar de ser, duas questões para reflexão:

Se uma pequena  matilha foi capaz de causar tantas mudanças em seu ambiente, o que um grupo de lobas conscientes será capaz de fazer?

Como cada uma pode alimentar sua própria “cadeia trófica” para recuperar seu ecossistema interno e revitalizar o rio da vida?

Depois de ver um filme como este, tenho certeza de que seu final de semana será excelente (já está legendado em português). 

Clique aqui para assistir.
Ao final me diga, não é  impressionante?




A Gaiola Dourada
Portugal/França
2012


Depois de uma série de posts com muito conteúdo, é preciso relaxar. Afinal, a densidade pede leveza, e para cultivar o equilíbrio o humor é um santo remédio...
Esta é uma deliciosa comédia com uma linda mensagem. 
Maria e José emigraram para a França e vivem num bairro  chique em Paris. Há 30 anos trabalham como zeladores de um prédio e são queridos pelos moradores pois são muito dedicados.  Mas os dois vivem sonhando em um dia voltar para a “terrinha”.
Eles têm vários amigos também imigrantes, formando uma alegre comunidade portuguesa.
Um dia, Maria e José recebem uma herança, que permitiria que se aposentassem e voltassem para Portugal, seu sonho seria finalmente realizado! E tem um detalhe: eles somente poderão receber a herança se a família for morar em Portugal...
Mas aí é que começam as confusões, porque os moradores do prédio não querem perdê-los e farão de tudo para segurá-los.
Além disso, seus filhos nasceram e cresceram na França, já são jovens adultos e até desprezam um pouco suas raízes portuguesas. E não têm a menor intenção de sair dali.  
Neste momento Maria e José terão que confrontar-se com esse desejo que acalentaram durante a vida toda. Quando finalmente podem realizar seu sonho começam a ter dúvidas se ainda é isso mesmo o que querem. Percebem que são muito mais apegados à sua vida na França do que imaginavam...
Quando tudo parece confuso e perdido, acontece uma reviravolta, uma solução inesperada e criativa que traz em si uma bela mensagem. 
O roteiro é muito inteligente e o elenco excelente. O único porém é que para uma vegetariana como eu, ver um banquete típico português causa um certo incômodo.
É um filme alegre e divertido que nos faz refletir sobre nossos desejos, sobre o poder transformador do amor  e sobre a importância das nossas raízes, da nossa ancestralidade, que ao emergir nos surpreende com uma força e criatividade nunca imaginadas.
Recomendo!




Quando Sinto Que Já Sei
Despertar Filmes
Brasil - 2014

Estou com este filme na minha lista há um tempão e sempre deixava para depois. Quando terminei de assistir fiquei com vontade de ver de novo e me perguntei: por que não vi antes? É incrível!
Você vai se encantar com as maravilhas realizadas por pessoas que descobriram uma nova forma de educar, um novo olhar para o Ser. A descoberta do modelo matricial, que tenta unir o feminino e o masculino de forma saudável e criativa.
Tudo isso acontecendo aqui mesmo no Brasil, em regiões carentes e com poucos recursos.  
E ainda  tem as crianças, que me deixaram de queixo caído…
Mesmo que você não trabalhe com educação vai se emocionar! É uma jóia preciosa. 


Reserve um tempinho no seu final de semana e assista.  Você vai ampliar seus horizontes, sentir-se feliz e cheia de esperança na humanidade!

Clique aqui para assistir.




O Encontro
Tenho este vídeo guardado há algum tempo e não me canso de vê-lo. Toda vez me pergunto: Como é possível transmitir tanta ternura e ensinamentos tão profundos sobre a vida em apenas 3 minutos? 
Derreta-se com a fofura deste encontro entre a menina e o gatinho, sem falar na música, que é demais. 
A analista de plantão aqui não consegue deixar de ter um olhar psicológico para as coisas; se quiser aprofundar  a experiência, deixei alguns pontos para reflexão logo abaixo.



Este pequeno grande filme mostra o verdadeiro sentido da palavra Encontro, o encontro de almas. É freqüente nos relacionarmos com as pessoas sem que o Encontro aconteça. Às vezes, nos encontramos realmente pela primeira vez com alguém depois de anos de relacionamento!

E o mais curioso é que muitas vezes na vida ele nasce de um desencontro, como quando a menina machuca o gatinho e ele lhe dá uma mordidinha de alerta (que eles costumam usar com os filhotes).

Destaco o papel dos pais: a calma e o acolhimento que transmitem à criança. Eles ficam por perto mas não a sufocam, permitem que tenha suas próprias experiências. Isso permite que a criança desenvolva a confiança em si mesma e na vida.

Que beleza ver o sentimento de reparação e a busca do encontro que existem numa criança tão pequena e no animal; que  voluntariamente permitiu todas as brincadeiras da menina, pois os gatos jamais ficam num lugar que não queiram, e nem permitem que alguém de quem não gostem se aproxime.

Ao final, nos lembramos: amor e confiança precisam ser cultivados. Assim é a vida...

Lindo, não é?  


Cada vez que  o vejo, percebo algo mais. Você descobriu algo além?




Blue Jasmine
Dir: Woody Allen
USA - 2013

Tenho que confessar uma coisa a vocês, eu não gosto de Woody Allen, mas tenho que tirar o chapéu para este filme, é incrível!
Sem contar que tem Cate Blanchett no papel principal, o que lhe rendeu o Oscar por sua atuação brilhante num papel dificílimo.
Resolvi indicá-lo pois aborda questões fundamentais para as mulheres que buscam o auto conhecimento e a feminilidade consciente. 
Conta a história de Jasmine, uma mulher rica (Cate), que era socialite em Nova York e perde todo seu dinheiro, tendo que ir morar com a irmã pobre num subúrbio de São Francisco.
Só que ela não consegue se adaptar à nova situação,  despreza a irmã que a acolheu e continua tendo idéias de grandeza. 
Vai tentar fisgar um milionário para recuperar seu status anterior, mas a vida lhe pregará uma peça.
O roteiro é muito inteligente pois à medida que o filme vai acontecendo, vamos vendo flashes do passado de Jasmine e descobrindo que nada é o que parece, há mistérios que somente são revelados no finalzinho do filme.
O mérito deste filme, do ponto de vista psicológico, é mostrar o que acontece com uma mulher que se aliena de si mesma, que vive para compor uma persona, colocando o centro de sua vida no mundo externo, nas aparências, no marido, na riqueza, aceitando quebrar os limites éticos…e o preço que pagará por isso.
Recomendo a todas!



O Sonho de Wadjda
Dir.: Haifaa Al Mansour
Alemanha/Arábia Saudita
2013

Esta linda fábula me tocou profundamente. Conta a história de Wadjda, uma menina alegre, inteligente,  que mora no subúrbio de Riad, capital da Arábia Saudita, e tem um sonho: ter uma bicicleta.
Você pode pensar: que coisa  comum, todas as crianças querem uma bicicleta, não é?
Não se você nasceu em uma sociedade onde as mulheres não podem dirigir  nem andar de bicicleta, pois isso poderia “macular sua virtude”.
Mas Wadjda é uma garota corajosa e determinada. Um dia ela vê uma bicicleta à venda e decide que irá juntar o dinheiro para conseguir comprá-la e para isso ela será muito criativa.
Além das aventuras de Wadjda, acompanhamos a história de outras personagens femininas que nos ajudam a traçar um panorama da vida das mulheres nessa cultura.
A mãe de Wadjda é uma linda mulher que vive insegura, pois não deu um filho homem ao marido e faz de tudo para agradá-lo, com medo de que ele escolha uma segunda esposa. 
A sogra, que fica instigando o filho a procurar outra mulher para ter o filho homem e despreza Wadjda por ser menina, mostrando como as próprias mulheres contribuem para perpetuar a discriminação e a opressão que sofrem. Afinal, são elas que educam os meninos
A diretora da escola é aparentemente linha dura, mas leva uma vida dupla. 
A melhor amiga da mãe,  que encontra uma forma de viver mais livre
E o final, belíssimo, mostra a importância do papel da mãe na construção da personalidade e da identidade da filha. Ao validar o seu desejo, a mãe mostra que almeja uma vida diferente para ambas, e oferece à filha a possibilidade de ser mais livre do que ela.
Recomendo a todas e principalmente às participantes dos grupos!



Os Belos Dias
Dir: Marion Vernoux
França - 2013


Este ótimo filme francês tem muitos motivos para ser visto, além do elenco de excelentes atores e de  Fanny Ardant, que continua linda e elegante nos seus sessenta anos.
Um dos méritos do filme é abordar de forma muito real e franca a questão do erotismo e do amor na maturidade, mas com delicadeza, sem cair na vulgaridade.
Conta a história de Caroline, que decide se aposentar e não sabe muito bem o que fazer com seu tempo livre. Decide freqüentar um centro para a “melhor idade”, mas não se identifica com o ambiente e nem com a proposta. 
Mesmo assim, começa a fazer um curso de informática onde conhece Julien, o jovem e charmoso professor. Eles iniciam um romance ardente, que faz com ela se sinta viva, linda e sexy. Só que as coisas não são tão simples...
Caroline é casada há quase quarenta anos com Phillipe, e eles se amam, embora exista o desgaste inevitável de toda relação longa. Ela tem uma linda família e dois netos que adora. Mas chega a pensar em abrir mão de tudo para ficar com Julien.
Só que Julien é um homem ávido por sexo e não se compromete com ninguém, quer sair com todas as mulheres.
Philipe, o marido, no início faz vista grossa, mas como o envolvimento dos amantes cresce, fica transtornado com a idéia de perder Caroline, e ao mesmo tempo não quer ter sua dignidade ferida.
À medida que o tempo passa e a tensão vai aumentando, Caroline percebe que o vazio que tinha e acreditava estar sendo preenchido pelo romance com Julien, na verdade é de outra ordem. Aí é que vem a grande virada em sua vida.
Ela descobre que velhos amantes podem recuperar o erotismo e a alegria, e que é possível encontrar novos sentidos, criar novos caminhos, numa fase em que a maioria das pessoas está “entregando os pontos”. 
Maravilhoso, recomendo!




Questão de Tempo
Dir. Richard Curtis
Inglaterra - 2013

Este filme foi um  dos melhores que vi neste ano.
Conta a história de Tim, que no dia em que completa 21 anos recebe de seu pai a notícia de que faz parte de uma linhagem de viajantes no tempo. 
No início ele usa essa habilidade para conseguir uma namorada, mas aos poucos vai percebendo que esse dom tem efeitos inesperados. 
Estas experiências lhe proporcionam um aprendizado de valor inestimável, descobre coisas sobre si mesmo e sobre aqueles que ama que mudam seu modo de estar no mundo e trazem um profundo significado  para sua vida.
Um roteiro brilhante, com muitas surpresas, trata de temas profundos da existência humana com poesia e leveza. O final é belíssimo.
Além disso, a fotografia é linda; filmado na região da Cornualha, no norte da Inglaterra, e a trilha sonora é ótima.
Foi indicado no mês passado para as participantes dos grupos, todas ficaram encantadas e tocadas com a beleza deste filme, então compartilho com vocês esta dica.
Assista, no final você vai querer ver de novo, é um daqueles filmes que ficam gravados no coração.



A Vida Secreta de Walter Mitty
Dir: Ben Stiller
EUA - 2013

Quando peguei este DVD não imaginava que o filme fosse tão bom! E ainda mais é riquíssimo em material simbólico para nossa jornada…
Estrelado, dirigido e produzido por Ben Stiller, que está ótimo fazendo um papel mais sério, mas com um toque de humor.
Baseado em fatos reais, conta a história de Walter Mitty, funcionário da revista Life, uma das maiores revistas de fotojornalismo do mundo.
Ele fazia um trabalho muito importante e  pouco reconhecido. Vivia num mundo de fantasias, mas no mundo concreto tinha uma vida sem graça. Até que algo acontece e o desafia a sair daquela zona de conforto. 
Uma mistura de aventura com suspense, precisa ser assistido com calma para podermos diferenciar entre o que acontece em suas fantasias e o que acontece no mundo externo. 
E vão surgindo detalhes que são pistas para decifrarmos um grande mistério… Nada mais nada menos que a quintessência da vida!
Atente para o lema da revista Life, que aparece logo no começo do filme no saguão da entrada do edifício, ele é a chave.
A fotografia é de tirar o fôlego e a trilha sonora, incrível.
Quando terminou, fiquei com vontade de assistir de novo.
É lindo!



Frozen - Uma Aventura Congelante
Disney - 2013

Esta bela animação da Disney tem um roteiro muito interessante  do ponto de vista psicológico.
Conta a história de duas princesas que são irmãs e muito unidas. Elza, a mais velha, nasceu com o raro dom de produzir neve e transformar qualquer coisa em gelo. Elas adoram brincar juntas, Elza vai produzindo montes de neve para Ana pular e se divertir. 
Mas numa dessas brincadeiras acontece um acidente com Ana que quase lhe custa a vida, e para protegê-la Elza é obrigada a isolar-se e esconder seu dom de todos. Isso causa um grande sofrimento às irmãs.
Só que a vida dá suas voltas e ao ficarem adultas o dom de Elza (que foi tão escondido) se torna incontrolável, fazendo com que o reino mergulhe num inverno eterno. Ela, desesperada, foge para evitar causar mais problemas.
Mas Ana sai em busca da irmã enfrentando vários perigos, e seu amor por ela produz um milagre, permitindo que Elza descubra uma forma de controlar seu poder e usá-lo em benefício de todos.
A história tem outros personagens interessantes e engraçados, e um boneco de neve falante que é uma graça e “rouba" várias cenas do filme.
Uma história sobre o poder do amor, sobre lealdade e ver além das aparências.
Diversão garantida para toda a família. Recomendo a todas!


Para Aprofundar a Experiência
Sugiro que assista primeiro ao filme para ter seu próprio olhar
 e depois leia a análise psicológica.

Muito interessante a questão da repressão do dom de Elza, que ilustra um princípio básico da psicologia: Tudo o que for reprimido voltará no futuro de forma destrutiva e geralmente sem controle.
Por não poder usar seu dom, Elza não aprende a controlá-lo e usá-lo de forma criativa. 
Muitas crianças cuja natureza não é aceita pelos pais têm seus potenciais e desejos reprimidos, gerando vários problemas no futuro. Principalmente as mulheres, para serem “boas meninas”, acabam abrindo mão de seus dons para agradar e pagam um preço alto por isso.

Sobre o príncipe e o vendedor de gelo.
Paixão, Amor, Lealdade e Traição.
Uma outra mensagem interessante aqui. Ana se apaixona pelo príncipe e fica noiva no mesmo dia! Isso causa espanto em todos e ela não entende o porquê.
O vendedor de gelo também a questiona perguntando se seus pais nunca a alertaram sobre estranhos, mas ela ainda não compreende.
Mas ao viver todas as aventuras e dificuldades (durante a busca da irmã) com o vendedor de gelo, ela percebe que algo se constrói na convivência que é mais forte do que a paixão inicial. O amor é um ato de criação, de construção e cuidado ao longo de toda a vida.

Também aparece aqui a questão de julgar pelas aparências: o belo e sedutor príncipe na verdade era mau, e trama a  morte das irmãs. O homem simples e rude tinha bom coração e sentimentos verdadeiros.

Outro ponto muito interessante nesta história é a questão do “ato de amor verdadeiro” que salvaria a vida de Ana. Todos pensam que o gesto deve vir de fora, que alguém que a ame verdadeiramente irá salvá-la, mas no final descobrimos que o gesto de amor que salva, deve vir dela. 

Muitas vezes ficamos esperando que alguém resolva nossos problemas, mas a salvação está dentro de nós. O gesto de doação de amor tem um enorme poder de transformação e cura.




Flores Raras
Dir: Bruno Barreto
Brasil/EUA - 2013

Este filme belíssimo conta a história real de amor entre a grande poeta americana Elizabeth Bishop e a famosa arquiteta brasileira Lota Macedo de Soares. 

O filme também mostra aspectos muito interessantes da história do Brasil entre 1951 até o início da década de 70, incluindo o Golpe Militar.

Elizabeth é uma poeta tímida e deprimida que vive em nova York e conta apenas com a amizade do escritor Robert Lowell. Ela recebe um convite para visitar sua colega de faculdade Mary, que vive com Lota no Rio de Janeiro.

Ela aceita o convite, e o que era para ser uma visita de algumas semanas acaba se tornando uma estadia de mais de 15 anos.

Lota foi a inspiração para Elizabeth escrever seu livro “North and South -  a Cold Spring”  que lhe rendeu o Prêmio Pulitzer e a tornou famosa. Durante sua estada no Rio de Janeiro seguiu escrevendo e recebeu outros prêmios. Sua produção literária tornou-a uma das maiores poetas americanas de todos os tempos, independente de gênero.

Um dos poemas mais famosos de Elizabeth “A Arte de Perder” foi composto em homenagem a Lota. 

Elizabeth foi a inspiração para que Lota construísse o Parque do Flamengo, um projeto muito além do seu tempo, que junto com a cidade do Rio de Janeiro foi tombado pela UNESCO como Patrimônio da Humanidade. 

Que coisa interessante: Lota era autodidata! E criou todas aquelas construções maravilhosas que vemos no filme. 

Raro encontrar filmes onde o amor entre pessoas do mesmo sexo é tratado sem preconceitos ou estereótipos e de forma tão delicada quanto aqui.

O elenco é excelente e Glória Pires está fantástica no papel de Lota, dando um show de interpretação mesmo em outro idioma.

Recomendo a todas que apreciam a arte, a poesia e que queiram se emocionar com uma história de amor tão intensa e profunda quanto a alma destas duas grandes mulheres que realmente foram flores raras.




A Garçonete
Dir. Adrienne Shelly
EUA - 2007

Este é um filme com tantas mensagens que nem sei por onde começar. É difícil classificá-lo por gênero, porque ele tem drama, comédia e romance. É bem temperado, assim como a vida.

As histórias dos vários personagens vão se entrelaçando, mas vou  me deter na personagem principal.

Jenna trabalha como garçonete numa loja de tortas, ela também é a alma do lugar, porque faz tortas como ninguém…

Cada evento, cada emoção em sua vida a inspiram a criar uma nova torta, e quando está criando ela realmente se realiza, se esquece de todos os problemas, como se fosse transportada para outro mundo. 

As pessoas acreditam que ela tem um dom divino com a comida, mas ela mesma não percebe o seu valor.

É uma mulher infeliz. Pois casou-se com um homem que passou a ser muito ciumento, controlador e agressivo. Ele a obriga a entregar-lhe todo o dinheiro que ganha a cada dia, e a trata como um objeto que existe apenas para satisfazê-lo.

Ela passa a esconder o dinheiro das gorgetas para juntar o valor da inscrição em um concurso de tortas. Com o prêmio ela poderia começar uma nova vida.

Mas a vida a surpreende com uma gravidez! Tudo o que ela não queria era ficar ligada a esse homem.  Mas reconhece o direito do bebê de vir ao mundo e decide cuidar-se da melhor forma possível. 

Só que sua médica se aposentou e em seu lugar há um médico novo que vai fazer o seu pré-natal, no início ela fica  muito contrariada. Mas novamente a vida a surpreende, este homem consegue espelhar para ela  as suas qualidades como mulher e ser humano.

O tempo vai passando, ela não consegue sentir afeto pelo bebê e está apavorada  com a idéia de ser mãe. Então  começa a escrever cartas (lindas!) para o seu bebê, onde revela todos seus sentimentos, conta o seu cotidiano,  compartilha as lembranças do amor de sua mãe, fala sobre os fatos da vida...

E aí começa a verdadeira aventura de descoberta de Jenna, de quem ela realmente é, qual é o seu valor. Descobre que a sua força não estava no outro, mas em si mesma, e surge onde e quando menos esperava. 

E o final do filme é inesquecível, surpreendente! 
Sempre é possível recomeçar...
Um filme lindo, a  cada vez que o vejo surgem novos insights.
Recomendadíssimo, principalmente para as participantes dos grupos.



O Poder das Palavras  - Este é outro vídeo de apenas um minuto e meio, mas é maravilhoso e nos faz pensar!






 Um Lugar na Platéia
Dir: Danièle Thompson - França - 2005

     Este deliciosa história tem de tudo um pouco: suspense, romance,  comédia...
     Jessica, uma jovem do interior, chega a Paris determinada a conseguir um emprego no Hotel Ritz.  Mas o que ela consegue é uma vaga como garçonete em um café ao lado de um teatro, de uma sala de concertos e de uma casa de leilões. Ela  tem contato com pessoas  das mais variadas sensibilidades e idiossincrasias. 
     Jessica  participa da vida de cada um dos personagens, mas não é apenas a vida dela que será mudada nestes encontros.  Todos estão em seus pontos de transição, de busca de sentido e diante da pergunta: qual é o meu grande desejo? 
      Pois eles, como muitos de nós, estão divididos entre o que possuem e o que gostariam de ter; entre o que são e o que gostariam de ser; entre o que fazem  e o que gostariam de fazer.
     Com um elenco ótimo, tocando em questões importantes com  leveza, ilustra muito bem as idéias do post Grandes e Pequenos Desejos. Agradeço à minha querida amiga Graça pela indicação deste precioso filme.


Mademoiselle Chambon
Dir: Stèphane Brizé - França - 2009

         É um filme singular. Um filme corajosamente belo e poético. É minimalista, fala-se pouco.  O que mais se ouve é o silêncio.  Mas o quanto é dito nestas pausas... 
        E a música, quando entra  (no violino tocado pela protagonista) entra divinamente. Quando Veronique toca para Jean no aniversário de seu pai vemos uma das mais belas declarações de amor que o cinema já mostrou.
       A história é simples, é a história de um  grande amor que não pôde acontecer. Mas a forma como é contado e a atuação dos atores principais é fora do comum. Detalhe: O casal de atores havia se divorciado há pouco tempo e fazem no filme  um casal que se apaixona. 
      O filme é riquíssimo em metáforas e símbolos do que acontece no interior dos personagens, como por exemplo a troca da janela na casa de Veronique. A presença de um na vida do outro é como uma janela que se abre e permite que se descubram aspectos desconhecidos de si mesmos. As portas e janelas no filme se abrem e se fecham em sintonia com os acontecimentos, preste atenção.
     Se você gosta de filmes de arte, assista. Já está disponível em DVD e  não deixe de assistir nos extras à ótima entrevista do diretor.




Lixo Extraordinário
Brasil - Inglaterra - 2009      Saí do cinema com as palavras de Dostoievski na cabeça "A beleza  nos salvará."  Este filme  produzido pro Fernando Meirelles ganhou muitos prêmios  no extrior e concorreu ao Oscar  2010 de Melhor Filme Estrangeiro. 
     Este documentário mostra como a trajetória de vida deste artista  se entrelaçou com as vidas dos catadores de material reciclável do aterro sanitário do Jardim Gramacho. Vik Muniz, com sua extraordinária visão de mundo e sua arte transformou as vidas de todos.
     Nada do que eu possa dizer se compara à experiência de ver na tela do cinema estas imagens, o processo de criação,  e as histórias destes seres humanos tão  singulares.
    É mais do que extraordinário, é formidável, maravilhoso, inesquecível.
    Assista, Assista!
   Trailer: www.lixoextraordinario.net


José Y Pilar

Portugal, Espanha e Brasil - 2009

       Fui ontem assistir a este documentário incrivelmente belo sobre a vida de José Saramago e sua esposa Pilar del Rio.  Uma experiência inesquecível.


       Revela-nos um Saramago desconhecido, desfaz idéias  feitas e mostra que gênio e simplicidade são compatíveis.

      É um retrato intimista do cotidiano do casal nos últimos quatro anos de vida dele. Acompanhamos seu processo de criação dos livros "Pequenas memórias", "A viagem do elefante" e a grave doença que o acometeu durante este período.  

     Acompanhamos  também suas viagens e a relação de um casal  apaixonado e comprometido com o ideal de tornar o mundo um lugar melhor.

      
Chocolate                          
Juliette Binoche,  Johnny Depp
Imagem Filmes - 2001

Mesmo que você não goste de chocolate vai   se encantar com este  filme. Quando Vianne  (Juliette Binoche) e sua filha chegam a uma pequena cidade no interior da França, ninguém imaginaria o impacto que isto causaria na comunidade local. Ela abre uma loja de chocolates e tem a habilidade quase mágica de descobrir  os desejos  ocultos de cada cliente e  despertá-los com o confeito  certo.  Isto faz com que os moradores descubram uma outra forma de ver a vida. É muito bonita a forma como as vidas dos vários personagens vão se entrelaçando e  se transformando. É um filme delicioso, que nos fala das  prisões que criamos  a fim de não atendermos nossos desejos e anseios mais profundos, que trazem alegria e sentido para a vida.




Elsa & Fred
Argentina
Imagem Filmes, 2006

Com a maravilhosa atuação e o carisma dos dois atores que fazem o casal de protagonistas, acompanhamos a história de Elsa, uma senhora espevitada e cheia de vida que tem um sonho: banhar-se na Fontana di Trevi, em Roma, como a personagem de Anita Ekberg em La Dolce Vita, de Fellini. Sua vitalidade contrasta com o desânimo do vizinho Fred, um viúvo apegado ao passado. Apesar das diferenças e do estranhamento inicial os dois se tornam amigos e depois namorados, para o espanto das respectivas famílias. Com delicadeza, este filme delicioso conta o desenrolar deste amor maduro e cheio de frescor e nos faz refletir sobre o que significa o envelhecimento e a busca da realização pessoal. Agradeço à  nosssa amiga Maria Sílvia que nos indicou este filme em Dezembro.




A Janela da Frente                       
Dir. Giovanna Mezzogiorno
Europa Filmes - 2003


Este filme premiadíssimo tem uma história das mais interessantes.  O filme já começa com um mistério que acontece na década de 40. E depois salta para as ruas da Itália atual onde um casal  discute sua relação e se depara com um homem  idoso, muito distinto, que perdeu subitamente a memória. O marido se compadece e decide levá-lo para sua casa mesmo sob os protestos da esposa. Ela se vê forçada a cuidar deste estranho e começa a descobrir pistas sobre seu misterioso passado. Em alguns momentos de lucidez, ele lhe diz coisas que   a  fazem encarar seus desejos, suas escolhas e  o  sentido de sua vida.  Este filme nos prende do começo ao fim  e tem um ótimo final, completamente inesperado. Agradeço à nossa amiga Rosângela, que indicou este filme em Novembro.




Quando me ApaixonoDir. Helen Hunt
Europa Filmes - 2008

O título em português não tem nada a ver com a história,  mas este é um lindo filme de estréia da talentosa Helen Hunt na direção. Conta a história de April, uma mulher que foi adotada quando bebê e criada por uma família judia.  Quando sua mãe adotiva morre , ela é procurada pela mãe biológica, dando início a uma delicada relação. O filme trata também da questão da infertilidade, pois April deseja ardentemente ser mãe, mas ela insiste em um filho biológico e resiste à idéia da adoção. Aborda a questão da fé, como ela se transforma à medida que a personagem amadurece.  O roteiro é muito rico, há vários outros personagens cujas histórias acabam se entrelaçando.  Os personagens são tão humanos, que no final parece que essas pessoas  realmente existem.  É um filme que amplia nossos horizontes.
O Fabuloso Destino de Amelie Poulain           
Imagem Filmes
França - 2001

Este filme encantador foi lembrado em nosso encontro de Novembro (para ver o resumo clique em Encontros).  Amelie, assim como a Czarina de nossa história, consegue enfrentar situações inesperadas e  mesmo difíceis de forma muito criativa  e até irreverente, transformando sua vida e de  todos ao seu redor.  A fotografia é  linda, mostrando Paris  em diferentes ângulos, e a trilha sonora é  belíssima.  Não deixe de ver. Quando o filme termina a gente fica com aquele gostinho de quero mais.... 








O Pequeno Nicolau

Dir. Laurent Tirard
França - 2009

     Divertido, criativo e bom demais de assistir!  Baseado nos livros de René Gosciny (o mesmo de Asterix e Obelix), com excelente elenco e a atuação das crianças é incrível.  Ambientado em Paris na década de 50, a beleza do filme está no fato de toda a história ser contada do ponto de vista das crianças. É divertidíssimo ver as fantasias criadas a partir da escuta de conversas dos adultos e as confusões que se seguem. O filme resgata um pouco da inocência e frescor que vamos perdendo pelo caminho.  Relacionado  às nossas conversas  sobre a importância de cultivar a leveza e a alegria.




 Enrolados
 Disney - 2010


 Tem tudo a ver com o que conversamos no encontro de abril. É baseado no conto de fadas da Rapunzel, mas o roteiro é bem diferente, o que torna a história mais interessante. Fala da coragem de enfrentar o desconhecido, da força do desejo como mola propulsora para  superar os obstáculos,  sobre a descoberta da sua verdadeira natureza e como ser fiel à ela. É muito rico em metáforas,  além disso é um espetáculo visual belíssimo, pois foi feito para celebrar os 50 anos dos estúdios Disney. 







The Potter  (O Oleiro)É um filme de curta metragem, animado por Josh Burton, como seu projeto de tese em Savannah College of Art and Design, que conta a história de como um oleiro, representado por uma criatura antiga, sábia e paciente, ensina o seu discípulo a dar vida ao barro.  Faz lembrar do que  algumas participantes  sentiram no  trabalho  com  terracota  em nosso encontro de Setembro de 2010  (para ver o resumo, clique em Encontros). É muito bonito. Você pode ver aqui na íntegra, dura apenas alguns minutos. Clique no link abaixo para vê-lo




Ao Entardecer           
Europa filmes - 2008
Meryl Streep, Glen Close e Vanessa Redgrave

Este belíssimo filme é uma história  sobre um grande  amor, sobre o profundo laço entre duas amigas e a força da ligação entre mãe e filha. Este filme reúne gerações de mulheres em um conto vivido em dois momentos: a juventude de duas mulheres, e seu reencontro na velhice, quando uma delas está muito doente. Fala sobre a importância de nossas escolhas  diante dos  limites  impostos pelas circunstâncias.   E principalmente, sobre o que justifica uma vida, que não está em realizar coisas grandiosas, mas naquilo que foi vivido com profunda dedicação e amor. Preste muita atenção  em toda a sequência final, a partir do momento em que as duas amigas se reencontram. É inesquecível.







Caramelo
França/Líbano - 2007
Direção e Roteiro: Nadine Labaki

Desejos, fantasias e sonhos de um grupo de mulheres que frequentam um salão de beleza na Beirute dos dias atuais. E como o caramelo usado para a depilação, o filme apresenta em suas personagens tanto a doçura quanto a dor de viver a lealdade e a cumplicidade diante do amor com suas  frustrações, encontros e desencontros. O retrato do cotidiano destas  quatro amigas é feito de forma delicada  e poética, com sutilezas de gestos e trocas de olhares muito significativos.  Um lindo filme, que  fala de questões  atuais e fundamentais do universo feminino. Tem muito a ver com as questões que discutimos em Agosto: o que é a verdade de cada uma e  as muitas formas de ilusão (o resumo  está em "Encontros").







Invictus
Direção: Clint Eastwood - 2009

Uma história verídica baseada na vida de Nelson Mandela e na história recente da África do Sul.  O título do filme refere-se a um poema que Nelson Mandela decorou  e  recitava diariamente durante seus 28 anos de prisão  e que lhe dava forças  para resistir. O filme se inicia depois de Mandela ter sido  eleito presidente por um país dividido,  e  ele consegue vislumbrar a possibilidade de união do povo através do esporte . Sua personalidade firme e bondosa, amadurecida com os dissabores, mostra que as qualidades   do feminino como acolhimento, tolerância e  afetividade nos relacionamentos não se restringem às mulheres. Sem falar na imensa lição de amor e perdão. Um filme emocionante, vale a pena conferir.  



Este depoimento do artista Hélio Leites  dura apenas 3 minutos e meio mas é Ma-ra-vi-lho-so!
Quanta beleza e sabedoria...



Este vídeo faz parte de um projeto muito interessante realizado por vários artistas plásticos sobre a alegria, a tristeza e o sentido da existência. Você pode ver os outros vídeos no site http://www.oqueetristezapravoce.com.br/



After Life

Depois da Vida

Dir. Hirozaku Kore-Eda

Japão - 2000 


Numa espécie de hotel, vários hóspedes vão sendo recepcionadas e acomodados.  Eles devem passar por entrevistas com membros da equipe local para selecionar uma única lembrança de suas vidas que gostariam de levar para a eternidade, tudo o mais será esquecido. Eles terão sete dias para realizar esta tarefa para que possam continuar sua jornada . Alguns selecionam a primeira  imagem que vem à mente apenas  para se livrar desta fase e seguir adiante. Outros, não querem abrir mão de nada, e não conseguem escolher. Para responder a esta questão, resumindo toda a existência em um único momento é necessária uma reflexão sobre o que deu sentido à sua vida. À medida que as pessoas vão cumprindo suas tarefas, vamos percebendo que os momentos selecionados são extremamente simples, mas sublimes.  É um filme maravilhoso , delicado e profundo. 







A outra face da Raiva                     
Kevin Costner e Joan Allen
Imagem Filmes - 2004

      Este ótimo filme foi bem lembrado em nosso encontro de Outubro ( para ver o tema de Outubro, clique em Encontros).  Conta a história de uma mulher  cujo marido desaparece subitamente sem qualquer explicação. É muito interessante para mostrar como a raiva turva nossa visão e impede que percebamos a realidade. Ela tem um turbilhão de conflitos dentro de si, levando-a a  ter alguns comportamentos destrutivos e dificultando o relacionamento com suas quatro filhas.  A história toda é contada pela filha caçula, que está entrando na adolescênciaEla é a pessoa que tem a visão mais clara da situação e as falas mais bonitas do filme. Embora toque em temas delicados, tem humor e um final  surpreendente!







O Estudante
Dir. Roberto Giralt
México 2009

       Fiquei encantada com a história de Chano, um homem de 70 anos, casado  há mais de 40 anos com Alícia, a quem ama profundamente. Ele  decide realizar um sonho: voltar à Universidade para estudar literatura.  Algumas pessoas próximas dizem que ele faria um papel ridículo em meio aos jovens,  que ele deveria se contentar em tocar seu violino e ter uma velhice tranquila, mas ele decide tentar, pois tem Dom Quixote como seu exemplo .
       Lá  ele enfrenta barreiras  devido à idade e conhece um grupo de jovens  com quem faz amizade. Entra em contato com as dificuldades e dilemas que a geração atual enfrenta  para uma conquista amorosa,   a questão das drogas, a banalização do sexo , entre outras.
       Este contato provoca transformações  em todos.  Chano tem muitas experiências  para transmitir , mas a vida lhe reserva suspresas e  seus  colegas de classe  mostram que também têm muito a oferecer. Este belo filme  tem feito sucesso em vários festivais e recebeu muitos prêmios.   Nos fala sobre o envelhecimento, o amor , a finitude e o sentido  que se dá à vida.





O Concerto
Dir. Radu Mihauileanu
Bélgica, França, Itália, Romênia e Rússia - 2010



       Na época de Brejnev, Andreï Filipov era o maior maestro da União Soviética e dirigia a célebre Orquestra de Bolshoi. Mas após ter se recusado a demitir os músicos judeus, entre os quais o seu melhor amigo Sacha, foi humilhado em público e  afastado em plena glória. Trinta anos mais tarde, ele trabalha todos os dias no Teatro de Bolshoi mas… como empregado de limpeza. Uma noite, quando Andreï fica a tratar da limpeza até tarde, recebe um fax – um convite do Teatro de Châtelet para que a Orquestra de Bolshoï vá tocar em Paris. Ele decide reunir os seus antigos companheiros, que hoje em dia vivem de pequenos trabalhos e dirigi-los em Paris, fazendo-os passar pela orquestra de Bolshoï.  Além disso, ele quer como solista a maior violinista francesa. É a grande chance de se vingarem da injustiça sofrida. Mas será que esse plano vai dar certo?
      É  um ótimo filme, que tem de tudo: situações engraçadas, drama e muitas surpresas...
      Fala dos sonhos interrompidos,  da  perseverança diante das adversidades, da missão pessoal como busca do sentido máximo da existência.  Além disso, o final é belíssimo.  Está disponível em DVD.
   




Janela da Alma               



Dir. Walter Carvalho
Brasil - 2002

    Este premiadíssimo  filme fala sobre o ato de ver - ou não ver - a si mesmo e ao mundo. Mostra uma série de entrevistas com  pessoas notáveis que apresentam diferentes graus de deficiência visual como o escritor José Saramago, a atriz Marieta Severo, o cineasta Win Wenders, o músico Hermeto Pascoal,  o neurologista Oliver Sachs, o fotógrafo cego esloveno Evgen Bavcar, o poeta Manoel de Barros,  entre outros...


     Os entrevistados falam de muitos assuntos interessantes e fazem revelações surpreendentes...O filme fala também  do excesso de estímulos visuais na contemporaneidade que leva à um tipo de cegueira: a incapacidade de perceber a nós mesmos, nossos sentimentos  e desejos.  Curiosamente o filme parte da visão física, mas trata principalmente da visão interior.  Para ver, rever e refletir... Imperdível.




  O Equilibrista
James Marsh - 2008  
     Este é o filme recomendado para  nosso encontro de Setembro

      Em 1974, o francês Phillippe Petit arriscou a própria vida e subiu ao topo das Torre Gêmeas para atravessar de um prédio ao outro se equilibrando num cabo de aço. 
    
     Diante de uma façanha incrível, este filme é repleto de imagens de arquivo e cenas com atores que detalham  sua execução num clima de suspense.  Seus  personagens são apaixonantes e completamente devotados ao espírito de sua aventura. O tema deste filme não poderia ser outro que não a própria idéia do maravilhamento.  Uma grande lição de superação humana  repleto de metáforas da própria vida. Inesquecível!




Minhas Tardes com Margueritte

Direção Jean Becker

França - 2010

      Germain (Gérard Depardieu)  leva uma vida pacata na pequena cidade onde mora, com a namorada e os amigos . É um homem rústico e mal sabe ler. Mas a sua vida muda quando conhece, no parque onde vai todos os dias, uma velhinha fora do comum que começa a ler para ele em voz alta. Nasce uma relação especial entre os dois e quando Margueritte (a maravilhosa Gisèle Casadesus) começa a  perder a visão, Germain percebe que  precisa fazer alguma coisa. 
     Este  belo filme fala dos encontros improváveis   e da força   transformadora que contém.  Trata de questões importantes da existência de forma delicada e quando termina fica a vontade de vê-lo novamente.... 




Made in Dagenham
(Feito em Dagenham)
Dir. Nigel Cole
Reino Unido  - 2010

     Este filme delicioso é baseado em uma história Real.

     Era 1968, e nesta época, não existia equiparação salarial entre os gêneros. As mulheres recebiam metade do salário de um homem para realizar o mesmo trabalho.  Isto não é mais assim na maioria dos países graças a estas mulheres!

     Numa das fábricas da Ford, em uma cidadezinha do interior do Reino Unido,  as 187 costureiras  que trabalhavam em condições sub-humanas,  revoltam-se quando são classificadas pela diretoria da empresa como mão de obra não qualificada e passam a receber ainda menos do que antes pelo mesmo trabalho.

     Iniciam um movimento que atinge proporções imprevistas e as mulheres mostram toda sua coragem, senso de  humor e criatividade para enfrentar as  situações  mais inusitadas.

     Preste atenção nos relacionamentos entre as mulheres do filme. Não deixe de ver nos créditos finais as cenas originais da época e o depoimento das verdadeiras costureiras de Dagenham.

     Se você gostou de "Garotas do Calendário" vai adorar este também. É do mesmo diretor e tem um excelente elenco.  Está disponível em DVD.

      Realmente inspirador.





Garotas do Calendário
Dir. Nigel Cole
Inglaterra 2003


     Este filme maravilhoso também foi baseado numa história real.  Quando doze senhoras  integrantes do conservador  Instituto das Mulheres numa cidadezinha do interior da Inglaterra  precisam levantar fundos para um hospital de pacientes com câncer, elas decidem produzir um calendário anual.
     Sem querer fugir muito dos calendários tradicionais, acabam criando um nada convencional. Por trás das guloseimas e arranjos florais, elas mesmas posaram para as fotos - e completamente nuas!  Imaginem as confusões que isto vai causar! 
     A história é linda e comovente,  mas me cativou principalmente por revelar a beleza e a força das mulheres maduras. 
     É um filme inesquecível.





    
Hanami - As cerejeiras em Flor
Dir. Doris Dorrie
Alemanha e Japáo - 2008
      Demorou, mais saiu em DVD! O melhor filme que assisti neste ano. Ao terminar, tive que vê-lo novamente e assisti à sequência final várias vezes. É uma verdadeira obra prima.
      O filme fala sobre o amor, os relacionamentos, sobre a brevidade e impermanência da vida e a importância de  estar presente na sua própria vida. Sobre a força do feminino e da arte na busca do sentido.
      A história é maravilhosa, os atores protagonistas são excepcionais, a fotografia de tirar o fôlego, a direção primorosa feita por uma mulher. A sequência final, quando Rudi e Trudi se encontram no butô, é uma das cenas mais poéticas que já vi no cinema.
      Um filme essencial! Já está disponível para locação. Eu o encontrei à venda na Livraria Cultura e na 2001 vídeo. É para ter e rever muitas vezes.




Palavra Encantada
Dir: Helena Solberg - 2011

      Assisti recentemente a este maravilhoso documentário e recomendo muito!

     Se você gosta de música, literatura, poesia,  e curte  Adriana Calcanhotto, Arnaldo Antunes, Chico Buarque, Ferréz, Lenine ,Luiz Tatit, Maria Bethânia, Martinho da Vila,  Tom Zé e Zélia Duncan entre outros , vai adorar este filme. 

     É uma viagem na história do cancioneiro brasileiro com um olhar especial para a relação entre poesia e música. Dos poetas provençais ao rap, do carnaval de rua aos poetas do morro, da bossa nova ao tropicalismo, Palavra (En)cantada passeia pela música brasileira até os dias de hoje, costurando depoimentos de grandes nomes da nossa cultura, que contam fatos curiosos sobre suas vidas e processos de criação, cantam músicas lindas especialmente para o filme,  e  além disso há uma surpreendente pesquisa de imagens.


    É acompanhado de um DVD de Extras com material de apoio ao professor, para  ser utilizado nas escolas. Tem um site também: http://www.palavraencantada.com.br/


    Imperdível!



Um Conto Chinês
Dir: Sebastian Boresztein
Argentina/Espanha - 2011


    Esta fábula, com toques de  realismo mágico, estrelada por Ricardo Darín é  linda demais.
 
    Ele vive Roberto, um homem recluso, que evita todos os tipos de relacionamentos, é dono de uma casa de ferragens,  cheio de manias e muito metódico.  Um dia ele encontra Jun, um chinês que foi roubado e arremessado de um taxi em Buenos Aires.   Roberto o socorre, mas Jun não fala uma palavra de espanhol.   Jun procura um tio que vive na Argentina, seu único parente vivo.  O acaso, ou o destino, fez com que uma vaca unisse estas duas pessoas tão diferentes.

     Mesmo querendo o isolamento, e não entendendo uma palavra de chinês, Roberto o hospeda em sua casa até que a Embaixada Chinesa localize seu tio.    Essa experiência mudará a vida de ambos, mas é a interferência de uma mulher, Mari, que definirá o desfecho da história.  

     No final, Jun deixa um presente muito especial, uma revelação, que abre os olhos de Roberto e o faz mudar sua vida.

     Este filme tem lindas mensagens, e fala  do acolhimento, um atributo feminino, que permite a concepção. O gesto acolhedor é o que permite a geração do novo.

     O filme tem tantas sutilezas, que seria impossível discutí-las aqui. Assista.  No final, sentimos que algo em nós também  mudou...





O Sorriso de Monalisa
Dir. Mike Newel - 2003

      Este filme foi indicado pela nossa querida Lisa (que faz aqueles bolos maravilhosos),  e tem tudo a ver com o que conversamos em nosso encontro de Fevereiro. Julia Roberts faz o papel de uma professora de História da Arte que está passando por uma crise pessoal e vai dar aulas em um colégio feminino tradicional da década de 50, nos Estados Unidos.  
     Suas aulas são muito diferentes do esperado, pois através da arte ela começa a questionar  os costumes daquela sociedade, principalmente no que concerne às mulheres. Ela inspira suas alunas a refletir sobre suas vidas, mas enfrenta resistência.   
    Durante essa experiência ela descobre a si mesma e  percebe que tem muito a oferecer, mas também  muito a aprender.  Um filme inspirador.  Disponível em DVD.




Sabedoria, Beleza e Gratidão


      Esta é mais uma das excelentes apresentações  do TEDx.
      Clique abaixo e assista, é demais!  






 
Ganhar ou Ganhar
Dir. Thomas McCarthy - 2011

               Paul Giamatti  é um ator  fantástico que foge das produções comerciais e só faz filmes interessantíssimos. Este é um deles. Aqui ele interpreta Mike, um advogado de meia idade, pai de família e muito boa gente, porém encrencado na vida financeira, e que nas horas vagas  treina o time de luta greco-romana da escola local. Quando ele se encontra com um adolescente desgarrado de sua família e que por acaso é um campeão de  luta greco-romana, sua sorte parece mudar drasticamente. Mas essa situação de ganho para todos logo se torna mais complicada do que ele poderia imaginar, pois os assuntos da família do rapaz também entram em jogo.     
      Este ótimo filme , nos ajuda  a compreender o mundo masculino. As dificuldades de se tornar e de ser homem, os comportamentos estereotipados dos grupos masculinos, a necessidade de afirmação da masculinidade. A questão da honra e da ética. Preste atenção , pois o mais incrível na história é que a plena maturidade  masculina somente acontece quando são  integrados  os  valores femininos. Aborda também a questão da maternidade, mas principalmente da parentalidade. Muito interessante a polaridade entre as  mulheres no filme,   e o papel decisivo que elas têm na trama.
     Excelente roteiro e elenco, uma história com muitas surpresas, e a mensagem é linda.



O Poder da Vulnerabilidade
Dra. Brené Brown

Esta maravilhosa palestra do TED  (Tecnologia, Entretenimento e Desenvolvimento) fala sobre a pesquisa da Dra. Brené como assistente social , mas também fala de si mesma, e de suas incríveis descobertas sobre  a  vulnerabilidade.    Uma das melhores que assisti nesta série.  Ela  é divertida e uma ótima contadora de histórias! Clique  e Assista!

<


/div>

Medianeras
Dir. Gustavo Taretto
Argentina - 2011

      Este filme é  MA-RA-VI-LHO-SO! 
     Através da história de Mariana e Martin, separados pelas medianeras (aquele lado dos edifícios em que não há janelas)  o filme faz uma reflexão sobre a vida  nas grandes cidades e sobre  a solidão na era do amor virtual. Os personagens percebem que paradoxalmente a internet os conecta ao mundo, mas os isola da vida. O roteiro é espetacular,  trazendo profundas reflexões existenciais de forma poética e bem humorada,  fazendo inclusive uma brincadeira com aquele livro infantil "Onde está Wally?". O filme é tão rico em linguagem simbólica que seria impossível comentar aqui.  Preste muita atenção na sequência final.  Veja os créditos  e terá uma surpresa.




O Palhaço
Dir. Selton Melo
Brasil - 2011

     Este é uma fábula delicada e emocionante. É a estréia do talentoso Selton Melo na direção (e ele ainda faz o papel principal !).  Benjamim (Selton Melo) e  seu pai Valdemar (Paulo José) formam a fabulosa dupla de palhaços Pangaré e Puro Sangue, a alma da trupe do Circo Esperança. Mas Benjamim é uma pessoa muito triste fora do picadeiro, pois não tem identidade, nem CPF, nem comprovante de residência.  Ele também está muito inseguro, pois sabe que irá herdar o circo de seu pai, e acha que não dará conta de tanta responsabilidade. Decide então partir em busca de um sonho e acaba encontrando a si mesmo. 
    Com excelente elenco, fotografia primorosa, este é um filme sobre a descoberta  de nossa essência mais profunda, e o final é lindo! Super recomendado.









Não Sei Como Ela Consegue
Dir. Douglas McGrath
2011

              Esta é uma comédia bem leve  e  divertida,  tem um tema com  o qual a maioria das mulheres vai se identificar.
        Sarah Jessica Parker  (aquela mesma, do Sex and the City) é o modelo de mulher moderna.  Ela quer ser multifuncional e perfeita. Faz de tudo  para dividir seu tempo entre os afazeres domésticos como  esposa e mãe de família, e os profissionais, decorrentes de seu trabalho como analista financeira. Quando a grande oportunidade de ascender na carreira aparece, vê sua vida virar do avesso por causa das inúmeras viagens que têm de fazer ao lado de Pierce Brosnan (que apesar da idade não perdeu o charme), um alto executivo com quem passa a desenvolver um projeto. 
        Através de divertidos efeitos de animação podemos acompanhá-la fazendo  suas intermináveis  listas mentais de afazeres para o dia seguinte ou  acordando de madrugada  e se culpando por ter esquecido de fazer algo da lista do dia anterior. Sem falar no jogo de cintura para enfrentar a acirrada competição  dentro da empresa, os conflitos domésticos, os malabarismos e confusões em que ela se mete para tentar dar conta de tudo. 
       Vale a pena ver, para dar boas risadas e refletir um pouco, pois qualquer semelhança com a vida da maioria das mulheres não é mera coincidência.  
       
          


Pina
" Dancem, dancem, caso contrário, estamos perdidos"
De: Win Wenders - 2011
    
    Acabo de sair do cinema extasiada!   
    Mais uma obra prima de Win Wenders. Um tributo à Pina Bausch, extraordinária bailarina e coreógrafa alemã, que revolucionou a arte da dança, contando verdadeiras histórias através do movimento.
   O efeito 3 D foi utilizado de forma inédita, não para realçar efeitos especiais, mas para colocar o telespectador dentro do palco. Em certos momentos dá a impressão de que podemos tocar os bailarinos, sentir sua respiração. É incrível!
    Ela faleceu em 2009, logo antes do início das filmagens e Win Wenders pensou em desistir do projeto, mas os bailarinos de sua companhia, do Teatro Wuppertal,  quiseram levar em frente como uma homenagem à mestra e amiga.
  O resultado é fantástico.  A recriação de suas grandes obras é primorosa, os depoimentos dos bailarinos são emocionantes, e ver a própria Pina dançando em algumas cenas é uma experiência inesquecível.  Fiquei me perguntando: como essa mulher conseguiu  compreender tanto  a essência humana e apresentá-la somente através de movimentos? 
    Está em cartaz em vários cinemas.  Se você gosta de arte, de dança e quer conhecer um pouco desta mulher maravilhosa, não perca. 



A Faculdade dos Pés Descalços

     Após assistir a este vídeo de Bunker Roy, que realizou coisas inacreditáveis, enfrentando todo tipo de dificuldades e resistências,  as frases  "não posso" e  "não consigo" desapareceram do meu vocabulário. 
    Ele é um exemplo de ser humano integrado em seu aspecto masculino e feminino.  
   Ao final do vídeo nossa visão de mundo é transformada. Note o papel fundamental que as mulheres tiveram neste projeto.
     Assista! É impressionante!






O Boomerang da Gentileza

     Como seria bom viver num mundo assim!  
   Coisas básicas como gentileza e cortesia estão sendo esquecidas. 
   Tudo que fazemos retorna para nós de alguma forma.
   Assista. É lindo.
   Foi enviado por nossa amiga Rosana Melo.

/div>

/>







A Fonte das Mulheres
Direção : Radu Mihaileanu
Bélgica, Itália e França - 2011

    Este filme foi indicado pela Rita, nossa companheira do Círculo e do Grupo de Estudos. 
     A história se passa em alguma aldeia do Oriente Médio, durante um período de seca. A única fonte de água fica no alto de uma montanha. As mulheres precisam ir todos os dias buscar água, carregando baldes nos ombros por um caminho íngreme, enquanto os homens ficam no bar da aldeia tomando chá. O líder local recebe muito dinheiro do turismo, mas esse dinheiro "desaparece" sem trazer nenhum benefício para os habitantes da vila. Até que um dia elas se revoltam e decidem fazer uma greve de sexo enquanto os homens não trouxerem água para a aldeia. Isto desencadeia muitos conflitos, pois segundo o costume islâmico, a mulher que não obedecer ao marido pode ser espancada ou repudiada. Elas enfrentam todos os riscos, nada parece detê-las.
    O filme aborda de forma delicada um tema espinhoso: a situação das mulheres que vivem sob o regime islâmico. Há muitos questionamentos interessantes. Há cenas lindas como a que a personagem Leila discute o Alcorão com o Imã na mesquita. Ele, que estava querendo intimidá-las com as leis da religião para fazê-las recuar, acaba refletindo e ficando ao lado delas. 
     É um filme especial,uma fábula moderna sobre o poder da união e do amor. 
   Está disponível para locação. Assista no idioma original (árabe) com legendas em português, pois as canções que elas cantam durante a lida diária são lindas e perdem a graça se forem dubladas.
     Obrigada, Rita. É ótimo, recomendo a todas.


Sob o Sol da Toscana
EUA - 2003
  Este filme delicioso é baseado no livro de Frances Mayes, e talvez muitas de vocês já o tenham visto, mas vale a pena ver de novo. Conta a história de Frances, uma escritora que passa por um divórcio bem tumultuado; o ex-marido engravidou uma garota jovem e ainda por cima pediu pensão e a casa onde moravam. Ela está tão devastada, que não tem energia para uma batalha judicial e perde tudo! Um imprevisto impede sua melhor amiga de fazer uma viagem para a Toscana e ela dá a viagem de presente para Frances, que se apaixona pelo lugar e decide morar lá. Compra uma casa muito antiga que precisa ser restaurada. Esse processo a faz conhecer pessoas e desencadeia uma série de acontecimentos que a ajudam reencontrar a alegria de viver.  
     Um filme que nos fala da importância da abertura para o novo, mesmo em momentos difíceis. De encontrar a leveza e a alegria nas pequenas coisas. Nunca é tarde para encontrar uma nova maneira de viver.
     Foi indicado pela nossa querida amiga Anita, recomendo a todas.



Valente

     Quem acha que animação é coisa só para  criança está perdendo um filme incrível! 
    Valente, da Disney-Pixar, é uma história emocionante sobre descobrir o feminino selvagem. Sobre encarar a própria alma dividida para que possa haver restauração. 
       É uma linda história baseada na mitologia celta, em que a princesa Merida precisa descobrir e enfrentar seu destino. Mostra de forma bem delicada a destrutividade (de ambas as partes!) que pode existir na relação mãe-filha.
       Tem personagens muito engraçados como o Rei, os três líderes dos clãs e os irmãozinhos da princesa. E outros personagens muito interessantes, como a bruxa atrapalhada, que age como a velha sábia  e acaba lançando a princesa numa jornada em busca de si mesma.
        A transformação psicológica da mãe e da filha  ao longo da trama é  emocionante.
      Quem já leu "Mulheres que Correm com os Lobos" vai perceber várias influências do livro na história.
      Está em cartaz nos cinemas e  a versão em 3D é linda!
    Não perca o curta metragem "La Luna" que é exibido antes do filme. É maravilhoso, um contraponto muito inteligente ao filme, pois o curta mostra a iniciação de um menino no mundo masculino através do pai e do avô, de forma muito poética. 
    Acabei de assistir e saí encantada, recomendo a todos!



O Exótico Hotel Marigold
Dir: John Madden
Reino Unido - 2011

     Acabei de assistir a este delicioso filme que já saiu em DVD e adorei!
    Quantos filmes você  viu cujos protagonistas são todos maiores de 60 anos? Sem falar que são interpretados por grandes atores ingleses...Só isso já é um mérito.
    Além disso o roteiro é muito bem feito, as histórias das pessoas vão se entrelaçando e formado uma linda tapeçaria. Os personagens são tão humanos que quando o filme termina parece que eram nossos conhecidos.
     Cada um deles está em busca de algo e ao mesmo tempo tem um segredo. Eles se encontram em um resort na Índia, mas ao chegar lá as coisas não são o que pareciam ser...
   O filme aborda de forma bem humorada e delicada a questão do envelhecimento,  da busca do amor e do sentido nesta fase da vida.
     Recomendo a todas!


O Terceiro Ato


   

     Clique no link abaixo e assista a um  vídeo do TEDx Women  com um depoimento maravilhoso de  Jane Fonda fazendo uma reflexão sobre  sua experiência com o envelhecimento, a descoberta da autenticidade e da liberdade e a  busca do sentido de sua vida.   Fiquei tocada e impressionada com suas palavras, não imaginava que possuisse tanta sabedoria.  Não perca, vale muito à pena!





Intocáveis
Dir: Olivier Nakache e Eric Toledano
França - 2011

     O melhor filme que vi em 2012! Entrou em cartaz no início de setembro. É um dos maiores fenômenos de bilheteria da história.

    Como duas pessoas tão diferentes, marcadas por graves infortúnios, podem ter tanto senso de humor e tanta leveza! E o melhor, é que a história é verídica. Os personagens reais aparecem antes  dos créditos no final.
   
   Sem falar no extraordinário talento dos atores (François Cluzet e Omar Sy), da direção primorosa, da fotografia incrível e da trilha sonora!

     Faz tempo que não ria tanto, e não é uma comédia.
     Maravilhoso, inesquecível!
     Deixe tudo de lado e vá para o cinema!     


A Delicadeza do Amor
Dir. David e Stéphane Foenkinos
França -  2011

    Um dos filmes mais delicados que já vi. Na verdade, não trata unicamente da questão do amor, mas da delicadeza necessária  para com a vida (o título em francês é apenas "A Delicadeza"). 
    
    Audrey Tatou (do Fabuloso Destino de Amélie Poulain) está incrível no papel desta mulher  que tem uma vida feliz e por uma reviravolta do destino perde a razão de viver. Ela passa anos vivendo apenas para o trabalho e, de repente, sem saber o porquê, beija um colega do escritório. 

     Eles embarcam numa jornada que suscita todos os tipos de questões sobre o que acreditamos saber de nós mesmos, sobre a vida, o amor e a hostilidade no trabalho.

     Podemos de fato escolher a maneira de redescobrir o prazer de viver?

     Esta é uma fábula sobre o renascimento e a singularidade do amor. O final é tão poético e delicado que voltei o DVD várias vezes para rever.

     Lindo demais! 



Espelho Espelho Meu
Dir: Tarsen Singh
2011

           Este é para assistir com a criançada e rir muito! (Eu assisti sem as crianças e adorei!)

     Esqueça tudo o que você sabe sobre Branca de Neve. Nada de princesinhas adormecidas em caixão de vidro esperando pelo beijo do príncipe encantado. As mulheres mudaram e as histórias mudam com elas!

       Fiquei impressionada com a criatividade dos criadores deste roteiro! 
      
     Julia Roberts está muito engraçada no papel da rainha má. O elenco é ótimo, o figurino e os efeitos especiais são deslumbrantes.

       Esta Branca de Neve aponta para um feminino que não depende do outro para tudo,  ela dá conta de cuidar de si mesma e de outros, sabe enfrentar as dificuldades e derrotar o mal.  

       Há aspectos simbólicos muito ricos que dariam uma boa conversa (para nós terapeutas), mas não vou ficar mencionando-os aqui para não estragar seu prazer de ver este filme tão divertido. 

     Veja os créditos finais para saber o destino de cada um dos anões.



A Vida  Secreta das Abelhas
EUA - 2009

     Este filme é lindo,  tocante e com uma redenção final magnífica! É um filme independente, premiado no Festival de Sundance.
       Ele é especial por abordar de forma profunda e  poética a questão do resgate do feminino ferido através do encontro com o sagrado. 
      Ambientado no sul dos EUA na década de 60,  numa região apegada a tradições rígidas onde as mulheres e os negros sofriam intensa discriminação e violência. 
    Lilly (excelente interpretação de Dakota Fanning) é uma garota  que sofre com os maus tratos do pai. Ela ainda sente muito a ausência da mãe, morta num trágico acidente.
   Até que um dia Lilly foge com sua empregada Rosalyn e vai parar na fazenda de August (Queen Latifah, ótima nesse papel), uma apicultora bem sucedida, que produz o melhor mel de toda a região. Ela é acolhida por August e suas irmãs.
     August vai ensinando Lilly tudo sobre a vida secreta das abelhas.  Através desse processo ela vai resgatando e curando as feridas do seu passado e descobre uma nova forma de viver, em conexão com a natureza  e o feminino sagrado.
     Há vários personagens interessantes cujas histórias vão se  entrelaçando e enriquecendo ainda mais a trama, que nos faz experimentar muitas emoções.
     O filme toca também na questão da reparação de um mal. O passado não volta. Nem tudo pode ser reparado, consertado, mas mostra que é possível realizar essa reparação internamente, através do perdão e do cuidado amoroso.
    A seqüência final é magnífica, daquelas em que voltamos o DVD várias vezes para rever. 
    O livro que deu origem ao filme é maravilhoso também.





O Que Eu Mais Desejo
Dir. Hirokazu Kore-Eda
Japão - 2012

    Acabo de ver este filme encantador que é uma ode à pureza  e simplicidade da infância.
      Mais uma obra prima do mestre do cinema japonês Kore-Eda, que conta a história de dois irmãos separados pelo divórcio dos pais. O mais velho vive com a mãe e os avós no sul da ilha de Kyushu e o mais novo vive com o pai no norte. A distância não diminui sua ligação e através do celular eles estão sempre em contato.
     Há uma crença no Japão de que no momento em que dois trens bala se cruzam acontece um milagre e qualquer desejo pode se realizar.
      O irmão mais velho quer muito que a família volte a viver unida e começa a mobilizar o irmão caçula e seus amigos para uma jornada até a cidade onde os trens se encontram. Cada uma das crianças tem um sonho que deseja realizar.
  O filme une também os dois extremos da vida, representados pelos avós dos meninos. O avô, que era confeiteiro,  tenta reinventar um doce famoso, e a avó começa a aprender a dançar. Uma homenagem àqueles que acreditam em seus sonhos, mesmo que pareçam impossíveis. É muito bonita a cumplicidade que se desenvolve entre o avô e o neto.
   A viagem é longa e cheia de surpresas e, como toda jornada, profundamente transformadora. As crianças passam a ter uma compreensão maior da vida.
    As crianças não são atores. São crianças fazendo papel de crianças de forma muito espontânea. E os dois garotos protagonistas são irmãos, o que torna suas atuações ainda mais reais.
   De forma suave, sem cair na pieguice, nos mostra que a mudança de perspectiva interna é que faz toda a diferença em nossas vidas.
    Já está disponível em DVD. Recomendo!





Aqui é o Meu Lugar
Dir: Paolo Sorrentino
2012

     Quando vi a capa deste DVD achei esquisita e não dava um tostão para esse filme... Foi uma linda surpresa, quando terminou eu quis ver de novo!
  É um dos filmes mais bonitos do ano (junto com a Delicadeza do Amor, Os Intocáveis e O Conto Chinês - veja as resenhas na página Filmes). 
    Cheyeene (Sean Pen - espetacular!) é um astro do rock aposentado que tem uma vida pacata no interior da Irlanda com sua mulher. Embora não esteja mais na ativa, ele continua se produzindo como se estivesse no palco. Apesar da aparência esquisita, ele é doce e incrivelmente sincero, como uma criança.
    Um dia  ele recebe a notícia de que seu pai (que ele não vê há 30 anos) está muito doente em Nova York. Ele decide ir, mas chega tarde demais.
   Ao chegar lá descobre um diário com segredos do passado. Seu pai passou a vida toda em busca de uma vingança e não conseguiu realizá-la. Ele queria encontrar um ex-soldado nazista que o havia humilhado durante a guerra.
    Cheyeene decide então completar a tarefa e sai numa busca pelos Estados Unidos procurando pistas que o levem ao ex-soldado. 
     Nessa viagem, ele vai tendo contato com muitas pessoas e estas vivências o transformam totalmente. O que era uma busca de vingança se torna uma jornada de auto-conhecimento, de cura e de reencontro com o amor do pai.
      O filme aborda também de forma muito interessante a questão de gênero.
  O final, completamente inesperado e belíssimo. É acompanhado da narração do trecho final do diário, que conta como o pai encontrou Deus no local mais improvável ao mesmo tempo em que o filho encontra a si mesmo.
     Que belo filme!


Desconectar para Conectar

Uma mensagem linda e muito criativa.
Assista, dura apenas três minutinhos.


Obrigada Maria Sílvia, por este vídeo tão inspirador!



A Lenta Beleza das Plantas



Este vídeo é simplesmente deslumbrante!
Como disse minha amiga Eliana: cultivar um jardim, uma floreira ou um vaso, é aprender a ficar, a ser e estar. Para que corrermos tanto?
Há muito o que descobrir com a lenta beleza da natureza. 
Clique no link, respire, relaxe e aproveite.

Quem se Importa?



Quem se Importa
Direção: Mara Mourão
Brasil - 2012

        Ma-ra-vi-lho-so! Imprescindível!

     Como seria um mundo onde a cada novo dia, as pessoas se levantassem para buscar e experimentar alegria e consequentemente isto fosse chamado de trabalho? 

     Numa semana marcada por tantas notícias ruins, tanta violência, assistir a este filme foi um bálsamo, encheu meu coração de esperança e me fez recuperar a fé na humanidade.

     Assista, dê esse presente a si mesma.



Amor Impossível
Dir. Lars Hallström
Reino Unido - 2012

Um filme lindo e realmente inspirador! 
O título original é "Salmon Fishing in the Yemen" (A Pesca do Salmão no Yêmen), e tem mais a ver com a história.
Um sheik do Yêmen aficionado por pesca esportiva, quer melhorar a vida dos povos do deserto levando a pesca do salmão para lá.
O sheik tem uma acessora na Inglaterra (a bela Emily Blunt) que busca os serviços de um especialista britânico em salmões (Ewam McGregor) para orientá-los sobre como criar salmões  naquele ambiente. Ele descarta totalmente essa possibilidade, visto que isso é considerado por todos  impossível.
Mas o sheik não desiste, mesmo sofrendo a oposição dos fundamentalistas de seu país, que não querem nenhum contato com o ocidente.
Em meio a tudo isso acontece uma linda história de amor, que não tem nada de tão impossível assim...
A sequência final é belíssima, o sonho renasce quando tudo parecia perdido.
O tema principal do filme é a fé e a esperança que nos fazem perseverar em busca de nossos sonhos. Mesmo que sejam impossíveis como pescar salmão no meio do deserto do Yêmen!

Já está em DVD. 


O Barulho das Nossas Certezas


Esta entrevista com Marina Silva para o filme "Eu Maior", é doce e suave como a sua voz. Tem uma beleza poética incrível. Fiquei encantada...
São apenas 4 minutinhos, vale à pena!



Nascida em Rio Branco, Maria Osmarina Marina Silva Vaz de Lima é uma ambientalista, historiadora, pedagoga e política brasileira. Em quase 30 anos de vida pública, ganhou reconhecimento dentro e fora do país pela defesa da ética, da valorização dos recursos naturais e do desenvolvimento sustentável. Marina foi vereadora, deputada estadual e senadora – eleita sempre com votações recordes – e Ministra do Meio Ambiente. Disputou as eleições presidenciais de 2010 e obteve 20 milhões de votos, o equivalente a mais de 19% dos votos válidos. Mais informações no www.minhamarina.org.br.



O Reencontro
Dir. Rob Reiner
EUA - 2012

     Este filme é demais! Basta dizer que tem Morgan Freeman no elenco,  tudo o que ele faz é incrível.
     Conta a história de um famoso escritor que se desencanta com a vida, torna-se alcoólatra e abandona sua arte. Ele vai passar o verão numa cidadezinha à beira de um lago e não quer ser importunado.
     Na casa vizinha mora uma mulher com três filhas. A filha do meio, uma menina de uns 10 anos, que gosta de inventar histórias para assustar sua irmãzinha, fica  muito curiosa com o novo vizinho.
     Ela quer descobrir de onde vem a imaginação, de onde os escritores tiram suas idéias e decide que não vai deixar seu vizinho em paz enquanto não tiver resposta para estas questões. Afinal, ele é um escritor famoso!
     Ele reluta muito, não quer ninguém por perto, mas a menina é teimosa... Surge então uma ligação muito especial entre eles e também com a família da garota.
     O que acontece a seguir é maravilhoso!
     Através dele, a menina passa por um verdadeiro ritual de iniciação no mundo da imaginação e da literatura. E através dela, ele tem a chance de reescrever sua história.
     Os diálogos são belíssimos, dá vontade de parar o DVD para anotar...
     Este filme fala basicamente sobre o amor, que surge quando e onde menos se espera e nos faz renascer.
     Recomendadíssimo!



A Matemática do Amor
Dir: Marilyn
EUA - 2010

     Acabei de assistir a este DVD que é uma graça!
    O título original: An Invisible Sign (Um sinal invisível) tem muito mais a ver com o filme, que é baseado numa história real.
   Conta a história de Mona Gray, que desde menina descobre sua paixão pela matemática. Quando, porém, o pai de Mona desenvolve uma doença psiquiátrica, a menina se tranca para o mundo, refugiando-se na companhia de seus números.
    Mona abandona tudo que gosta de fazer: amigos, música, filmes, como se fosse uma espécie de troca para ter o bem estar de seu pai restaurado.
   Essa ideia surge de uma história que seu pai contava quando era menina, um conto de fadas sobre como as pessoas precisavam abrir mão de partes de si mesmas para obter a alegria de seus entes queridos. A garota cresce punindo-se cada vez que  se sente feliz com algo e a matemática é a única coisa que a conforta.
     O comportamento da moça acaba preocupando sua mãe, interpretada pela brasileira Sonia Braga que aliás, está excelente no filme. Tentando fazer com que a filha se abra para a vida, a mãe a expulsa de casa e arranja para ela um emprego como professora de matemática. 
    É interessante observar as mudanças que ocorrem quando Mona finalmente entra em contato com o mundo. As crianças da classe e o charmoso professor de ciências fazem com que a personagem cresça emocionalmente, enfrentando suas barreiras psicológicas.
    No final ela descobre que o Todo é maior que a soma das partes, e que ninguém pode  abrir mão de si mesma para ser feliz.
    Um filme ideal para uma tarde chuvosa com um balde de pipoca.  
   Para as terapeutas: um excelente estudo de caso sobre TOC e psicose, sobre a fusão simbiótica entre pai e filha e o papel saudável mãe para quebrá-la.
    Anote esta dica!


Ruby Sparks
Dir. Jonathan Dayton e Valerie Faris
EUA - 2012


         Este filme é lindo!
     Dirigido pelos mesmos diretores de "A Pequena Miss Sunshine". Com um excelente roteiro, fotografia, trilha sonora  e atuações maravilhosas. 
       Calvin (Paul Dano, talentosíssimo) é um escritor que conquistou sucesso ainda muito jovem. Com seu primeiro romance foi considerado um gênio. No entanto, os anos passam e ele não consegue escrever outro livro, parece que sofre do famoso bloqueio do escritor. 
       Ele tem muita dificuldade para se relacionar com as garotas, é um rapaz solitário. Adotou um cãozinho acreditando que isso faria com que as garotas se aproximassem dele, mas o cão é um pouco esquisito e isso o constrange ainda mais.
        Seu analista pede que ele escreva um pequeno texto de como seria encontrar uma  garota que gostasse do seu cachorro exatamente como ele é, e o traga para a próxima sessão. 
         Naquela noite ele tem um sonho com uma linda garota chamada Ruby (Zoe Kazan -  atriz incrível e ainda é a roteirista!) que se aproxima deles em um parque e brinca com o cachorro. Ele acorda de um estalo e começa a escrever freneticamente por dias e noites sobre essa garota e o romance que poderia surgir entre eles.
     Qual não é o seu susto, quando após uma semana ele se  depara com Ruby de carne e osso bem no meio da sua cozinha fazendo omeletes!
    Bom, aí  o que se segue é uma história linda,  totalmente fora dos clichês, com muitas reviravoltas e surpresas.
    O filme aborda a questão do controle nos relacionamentos, das imagens que criamos a respeito do ser amado, que nos impedem de ver quem ele/ela realmente é. Além disso nos dá uma importante lição sobre a necessidade de liberdade e generosidade para que o amor floresça.
    Também fala de forma muito bonita sobre o processo de criação artística. A obra de arte é sempre maior do que quem a criou. A obra não sai do artista, mas vem através dele. O artista, na verdade, é um instrumento a serviço de algo  maior.
   Muito criativo, uma delícia de filme.
   Recomendo!


Além da Liberdade
Dir. Luc Besson
2012

     Estamos tão acostumadas à liberdade, a viver num país democrático, a escolher nosso caminho livremente, que não imaginamos que esta não é a realidade para muitas pessoas ao redor do mundo.
      Este filme conta a história real de Aung San Suu Kyi, que enfrentou desafios inimagináveis durante sua trajetória em busca da democracia  pela não-violência em Burma, atual Miyanmar.
      Foi eleita Primeira Ministra, mas pagou um preço pessoal altíssimo, ficou 15 anos em prisão domiciliar, sem poder ver seus filhos nem seu marido.
       É  muito bonita  a história de amor do casal. Mesmo estando do doutro lado do planeta, o apoio do marido foi fundamental. Ele fez um trabalho de bastidores decisivo. 
        O mais impressionamte, é que a alma dela não se aprisionou. Me lembrou o filme Invictus (veja resenha na página Filmes), que fala  de Nelson Mandela e tem um poema maravilhoso "Eu sou o Capitão da Minha Alma".    
       Ela foi agraciada com o Premio Nobel da Paz em 1991, mas não pôde ir recebê-lo, pois estava detida pelos militares.


      A direção de Luc Besson é impecável, o roteiro muito bem escrito. A atuação de Michele Yeoh no papel principal é sublime. A idéia do filme foi dela, que se entregou totalmente ao projeto.
      Se você gosta de cinema, assista ao Making-of: o trabalho  e o envolvimento das pessoas para fazer o filme são emocionantes!
       O filme mostra algumas cenas da violência que imperava no país, e segundo  Luc Besson, elas foram suavizadas, pois a verdade era tão chocante que não poderia ser mostrada nas telas.
     Houve um momento tocante durante as filmagens, quando receberam a notícia de que Suu Kyi havia sido finalmente libertada.
    Uma experiência que nos faz refletir: O que é ser livre? Como usamos nossa liberdade? O que é senso de missão? Qual é nossa missão no mundo?
    Depois de ver o exemplo desta mulher extraordinária, somos de alguma forma modificadas. É impossível ficar indiferente!
  


Histórias Cruzadas
EUA - 2011

    Este filme, que deu o Oscar de melhor atriz a Viola Davis, é ótimo.
     Numa cidadezinha do Mississipi, na década de 60, quando ainda imperava a segregação racial e o único destino de uma mulher era casar e ter filhos, uma garota da elite recusa os pretendentes e decide ser  escritora. Isso já causa escândalo.
     E como se não bastasse, ela quer escrever sobre a vida das mulheres negras que trabalham como empregadas domésticas.
     Não é preciso dizer que isso desagradaria a todos e o medo impedia que as mulheres falassem.
     Ela consegue a adesão de Abeleen (Viola Davis) e aos poucos outras mulheres se juntam a elas. 
     Tudo tem que ser feito às escondidas, uma verdadeira aventura, e nessa trajetória há um resgate da auto-estima dessas mulheres tão batalhadoras e sofridas.
     O livro acaba tendo um impacto inesperado e gera  muitas mudanças na vida de todos...

   Foi indicado pela querida Carla, do nosso Grupo de Estudos em Psicologia Analítica, pois tem a ver com o que estamos estudando: a questão da opressão do feminino pelo patriarcado, muitas vezes perpetuada pelas próprias mulheres. E o movimento necessário para sair desse sistema.
Recomendo a todas, principalmente às participantes dos grupos.


Antes de Partir
Dir. Rob Reiner
EUA - 2008

      Se um filme com Morgan Freeman já é bom, imagine com Jack Nicholson também...e numa história linda!
    Há muito tempo o professor de filosofia Chambers (Morgan Freeman) sugeriu a seus alunos que fizessem uma lista com as coisas que queriam fazer antes de morrer. Mas sua própria lista de desejos havia ficado esquecida, era algo em que ele pensava ocasionalmente  enquanto trabalhava como mecânico.
  Enquanto isso, o multi milionário Edward Cole (Jack Nicholson) estava sempre ocupado ganhando dinheiro e construindo um império.
     De repente, Edward e Chambers se encontram dividindo o mesmo quarto de hospital, com uma doença potencialmente fatal.
    Chambers fala de sua lista para Edward e os dois decidem torná-la realidade.
   Eles fogem do hospital para juntos realizarem todos os itens da lista, com  tarefas como visitar o Taj Mahal, ir ao Serengueti, participar de uma corrida de automóveis, pular de pára quedas...
  E nessa trajetória eles se transformam, uma grande amizade nasce e muitas surpresas nos aguardam....
   O filme aborda de forma leve e bem humorada a questão da finitude e do sentido da existência. A grande pergunta que permeia o filme é: O que faz a vida valer à pena?
    Assista, é ótimo!

Esta dica foi dada pela querida Fernanda do Templo das Borboletas
Fê, obrigada, adorei! 
Tenho certeza de que nossas amigas também vão gostar.
     


Moonrise Kingdom
Wes Andersen 
2012

Este filme é uma delícia de ver! 
A história acontece no verão de 1965  numa ilha cercada da mais bela natureza.

Um garoto e uma garota de apenas 12 anos se apaixonam e fazem um pacto secreto. Eles  são diferentes e se sentem deslocados no mundo ao qual pertencem. Decidem fugir para a mata e viver  juntos. Ele é um ótimo escoteiro, sabe todas as técnicas de sobreviência...

Só que os pais da garota (Bill Murray e Frances McDormand) descobrem e acionam o chefe dos escoteiros (Edward Norton) e o xerife (Bruce Willis) para procurá-los. 
Eles correm contra o tempo, porque uma forte tempestade tropical se aproxima da ilha.

Durante as buscas muitas coisas acontecem, segredos vêm à tona e vários personagens vão sendo transformados pelos acontecimentos.

Com um elenco excelente, fotografia  e trilha sonora incríveis!
Todas as crianças do filme são estreantes, mas são ótimos!

Uma fábula que resgata a inocência e a beleza da descoberta dos mistérios da vida. 
Mostra também o poder redentor e transformador  do amor. 
Como uma pedra atirada num lago, suas ondas se espalham e atingem a todos.
Recomendo!

  
Histeria
Inglaterra - 2011


Conforme comentamos hoje no Grupo de Estudos, aqui vai a sugestão:

Esta comédia é ótima! Os britânicos são imbatíveis em fazer filmes de época. Trata de um tema muito importante para nós mulheres: a histeria.  Acredite, o filme é baseado em fatos reais!

Em 1880, uma mulher decente deveria ser uma ótima dona de casa e mãe, não poderia ter quaisquer aspirações intelectuais, nem questionar os costumes vigentes. E principalmente, não podia gostar de sexo. 

As que se atreviam a ser diferentes recebiam o diagnóstico de histéricas.

O prazer sexual era exclusivo dos homens, acreditava-se que as mulheres eram incapazes de senti-lo, e que o orgasmo feminino era apenas uma "descarga elétrica do sistema nervoso", sem qualquer vínculo com o prazer.

Os médicos buscavam tratamentos para a histeria, acreditavam que se pudessem provocar essa "descarga do sistema nervoso"  artificialmente, poderiam curá-las.

Um especialista em doenças de senhoras, cria um tratamento revolucionário, que estava fazendo um sucesso incrível entre suas pacientes e lhe rendeu fama e fortuna.

Tanto assim, que ele necessita de um assistente. E um jovem médico idealista acaba indo parar no seu consultório. 

Aí começam muitas confusões, surpresas e romance, é claro... Tudo com excelente ambientação de época, figurinos impecáveis e ótima atuação do elenco.

É uma história sobre  os mistérios do prazer e da sexualidade feminina, sem cair na vulgaridade e com muito humor. 

Continue vendo o filme durante os créditos finais, pois ele continua...vale à pena!

Para se divertir e refletir...


A Vida da Outra Mulher
França -  2012

Acabei de assistir a este DVD e adorei! Tem tudo a ver com o que estamos discutindo nos grupos!

Juliette Binoche está  maravilhosa como sempre, no papel de uma jovem de 25 anos, que conhece um rapaz por quem se apaixona. Depois da primeira noite de amor, ela acorda no dia seguinte numa casa estranha e o namorado não está lá.

Ela descobre que é o dia de seu aniversário....de 41 anos! E  que tem um filho, é muito bem sucedida e está no meio de um processo de divórcio. Como assim? Pois para ela, eles acabaram de se apaixonar e ter uma noite de amor maravilhosa...

Quinze anos se passaram...e ela descobre que se tornou uma pessoa completamente diferente do que era...Como é que eu me tornei essa outra? - ela se pergunta.

Procura um médico e descobre que está com amnésia, mas o que fazer? Não quer que as pessoas percebam, pois tem medo de que a considerem louca.

Então ela começa aos  poucos a se apropriar da vida dessa outra mulher que ela se tornou, com um olhar novo, como se estivesse vendo tudo pela primeira vez (e na verdade está...).

Esse  novo olhar, faz com que ela tome atitudes diferentes daquelas esperadas pelos que a cercam, o que causa muitas surpresas. 

Há várias cenas engraçadas, à medida que ela vai se dando conta das mudanças pelas quais o mundo passou nesse período.

Segue-se uma linda história sobre o resgate da essência, dos valores e sonhos desta mulher, que havia se perdido de si mesma.

Um filme lindo, que nos faz refletir sobre nossas escolhas e rever nosso percurso na vida.

Recomendadíssimo!


Retratos da Real Beleza

Este vídeo é incrível!
Assiti no blog da querida Fernanda, Templo das Borboletas.

Mostra de forma muito criativa a diferença entre a nossa auto-imagem e a imagem que os outros percebem de nós. Como somos críticas conosco.... E como essa postura afeta todos os aspectos de nossas vidas.

Fiquei impressionada! 


Fernanda, muito obrigada por compartilhar!



O Amante de Lady Chatterley
Dir. Pascale Ferran
2007

  Mais uma dica relacionada aos temas do Grupo de Estudos:

     Este romance baseado na obra prima de D.H. Lawrence é belíssimo. Esta versão é especial pelo toque delicado da diretora francesa Pascale Ferran.

    Constance Chatterley é uma mulher da aristocracia inglesa que casa-se com Lord Clifford. Logo após o casamento ele vai para a guerra e, ao voltar, não é mais o mesmo homem. Ficou paraplégico. 

     No início, Constance tenta desdobrar-se em cuidados com o marido, que se torna cada vez mais amargo e distante. Ele isola-se completamente, vivendo para a literatura, e ela passa o tempo sozinha naquela enorme propriedade.

     Ela sente-se tão infeliz, que adoece gravemente. Durante sua longa convalescença, o médico pede que ela dê passeios ao ar livre e tome sol. 

     Numa dessas caminhadas, ela encontra Oliver, o guarda-caça da propriedade. A atração é imediata. 

    Começa então uma das mais belas histórias de amor da literatura (e do cinema!).

   Ao lado de Oliver ela se dá conta de que há outras maneiras de perceber o mundo e a realidade que os cerca.  E aos poucos ela vai descobrindo sua sensualidade de uma forma totalmente nova.

   As cenas de sexo têm uma beleza ímpar, pela naturalidade com que o erotismo passa a ser vivido pelo casal. Eles   tornam-se parte da natureza.


     Com uma fotografia deslumbrante, onde as mudanças das estações são uma metáfora da evolução dos estados de alma de Constance. Atores  e direção maravilhosos. Ambientação de época impecável.

    Um filme fundamental para a descoberta do amor e do erotismo como caminho de auto-conhecimento, libertação e realização pessoal.
    
    Recomendadíssimo, principalmente para as participantes dos grupos!


Grupos de Corpo e Alma


Assistam a esta fala da querida amiga  Eliana, do blog da Mulher Esqueleto, no TEDx Women. 
Ela nos conta sua trajetória, seu aprendizado a partir dos valores do feminino, sobre aprender a Ficar, a Ser e a Estar.

Imprescindível! Fundamental para as "Lobas" do Mulheres em Círculo e as participantes do Grupo de Estudos.

E para todas as mulheres que buscam uma vida plena.








E Agora, Onde Vamos?
Dir. Nadine Labaki
Líbano/França - 2012

      Para quem já viu Caramelo este filme da bela e talentosa Nadine Labaki dispensa apresentações e é ainda melhor que o primeiro.  Foi escolhido pelo Líbano para concorrer ao Oscar de melhor filme estrangeiro em 2012.

    Muçulmanos e católicos vivem em uma pequena comunidade no Líbano, cujo único elo de ligação com o mundo exterior é uma velha ponte, cercada por antigas minas terrestres que jamais foram removidas. 
     
     Apesar da comunidade ser dividida religiosamente, ela vive em paz. Até mesmo a igreja e a mesquita dividem bem o mesmo  espaço... 

    Até que um dia, o prefeito decide trazer o sinal da TV para a aldeia e os habitantes ficam sabendo que há conflitos religiosos ocorrendo na área. Os homens da comunidade começam a brigar entre si.

    As mulheres já estão fartas de fazer o luto por seus maridos e filhos que lutaram na guerra e entram em ação  procurando meios de manter os homens ocupados, de forma que não possam entrar em conflito.  


     Apesar de todos os esforços, a morte acidental de um jovem cristão pode ser o estopim de uma guerra na aldeia. Mas a sabedoria e força da mãe do rapaz mobiliza cristãs e muçulmanas, que se unem num plano radical, com a bênção do padre e do imã.
      


   Este belo filme mostra como difere a visão de mundo entre mulheres e homens. E principalmente, como as mulheres podem ser sábias, fortes e criativas. Unidas, podem mudar o destino de toda a aldeia.

     Recomendo  a todas, principalmente às participantes dos grupos.



Entre o Amor e a Paixão
Dir. Sarah Polley
Canadá - 2011

Este é um filme maravilhoso, erroneamente classificado como comédia. Na verdade é um romance.

Fala de Margot, uma jovem casada há cinco anos com um chef, os dois se amam muito. E têm um jeito muito particular de mostrar seu amor, com brincadeiras (às vezes ácidas) e pegadinhas que  fazem um com o outro. 

Ela sonha em ser escritora, mas não se empenha muito em busca de seu sonho, enquanto o marido está envolvido em pesquisas e experimentações para publicar seu primeiro livro de receitas.

Ela parece meio entediada, como se sua vida só acontecesse dentro do relacionamento. Parece que sempre falta algo...

Um dia, ela conhece um homem que lhe desperta uma intensa paixão, mas está dividida. Não quer trair o marido que ama.

Num primeiro momento, parece que a presença deste novo homem poderá trazer  movimento, cores, novidades para sua vida. 

O final, belíssimo, mostra que a verdadeira viagem é com ela mesma, é preciso saber quem se é, encarar o seu próprio vazio e buscar o que lhe traz sentido. Os outros (amores, amigos), podem ser apenas companheiros na jornada, não podem fazê-la por nós. 

Preste bastante atenção na primeira cena do filme, pois ela voltará no final e mudará nossa perspectiva...

Com um roteiro brilhante, de profundidade psicológica incomum. Atores excelentes, a protagonista é Michelle Williams (de Sete Dias com Marilyn).

Um filme especial, principalmente para as terapeutas!



Vida Num Só Dia
(Miss Pettgrew lives for a Day)
Bharat Nalluri
Inglaterra/EUA - 2008

    Depois do filme denso da semana passada, nada como uma comédia deliciosa e inteligente.
   Toda a trama acontece em extamente 24 horas. Uma montanha russa de emoções em apenas um dia!
    Na época da Grande Depressão e às vésperas da Segunda Guerra Mundial, milhares de pessoas perdem seus empregos e ao mesmo tempo a elite vive alienada num mundo de glamour.
      Miss Pettgrew (Frances McDormand) acaba de perder seu emprego como governanta após 20 anos de serviço e está desesperada por  um novo trabalho.
       Depois de algumas peripécias consegue o emprego de secretária da jovem cantora e aspirante a atriz Delysia Lafosse (Amy Adams) que é amante do dono de um night club, mas  apaixonada por um pianista pobre. Miss Pettgrew sai da absoluta miséria para um mundo de glamour. 
    Na aparência elas são completamente diferentes, mas uma sintonia surge entre as duas, vivendo situações engraçadas e até surreais  descobrem que tem muito mais em comum do que imaginavam.
      Este breve contato entre Miss Pettgrew e Delysia, que durou apenas um dia, foi intenso o suficiente para transformar a vida de ambas.
     O final é inesperado e encantador!
    Roteiro e elenco excelentes, figurinos e ambientação de época lindos...sem falar na música!
    Que diferença pode fazer um único dia na vida de uma pessoa!
      Para relaxar e se divertir...

Este filme foi indicado pela querida Rosa
Demorou para sair a postagem, mas não esqueci da sua sugestão, viu?
Obrigada amiga, adorei!
      

Amor e Inocência 
A Vida de Jane Austen
Dir.: Julian Jarrold
Reino Unido -  2007

Este filme lindo e delicado conta a vida de Jane Austen. É muito bonito ver como os acontecimentos de sua vida vão dando origem a cada uma de suas obras.

Em 1795, ela tinha 20 anos e começava a se destacar como escritora. 

Nessa época uma mulher deveria ser bela e ter senso de humor. Uma mulher que pensava era considerada quase uma aberração e dificilmente encontraria um marido, a menos que fosse muito rica.

Jane era filha do pároco de uma pequena cidade e sua grande família vivia sempre em dificuldades financeiras.

Ela está interessada em desvendar o mundo, mas seus pais querem que se case com  o Sr. Wisley, que possui grande fortuna e está apaixonado.

Chega à cidade um jovem advogado chamado Tom Leffroy que tem  má fama, mas sua inteligência e arrogância a provocam.

Eles se apaixonam perdidamente, mas os impedimentos sociais para que fiquem juntos são enormes. A saída seria fugir, mas isso acabaria com sua reputação e ela seria banida da sociedade.

A decisão é muito difícil, mas o que não falta à essa mulher é coragem.

O final é belíssimo, voltei o DVD várias vezes para rever e me emocionei ...

Com um elenco de atores ingleses excelente e o papel título dado a Anne Hathaway (que está ótima). Reconstituição de época impecável, como todas as produções inglesas. Fotografia  e trilha sonora maravilhosas...

Adorei saber mais sobre esta mulher tão à frente do seu tempo, tão íntegra e corajosa; além da maravilhosa escritora que criou algumas das maiores obras da literatura inglesa de todos os tempos.

Um filme inesquecível.




O Clube de Leitura de Jane Austen
EUA - 2007

Este filme é maravilhoso, daqueles que dá vontade de ver e rever...
Se você gosta de ler Jane Austen ou assistiu algum dos filmes baseados em suas obras (Razão e Sensibilidade, Orgulho e Preconceito, Emma, Persuasão, Mansfield Park e Northanger Abbey ) então vai amar...

Bernadette é uma mulher de meia idade, muito alegre e afetiva que é apaixonada por Jane Austen e decide criar um clube de leitura  das suas obras.
Para isso reúne algumas amigas e outras pessoas que aparentemente não tem nada em comum entre si e nem com esse tipo de literatura. E ainda mais, cada pessoa está num momento crucial de sua vida.
Aparentemente tem tudo para dar errado...

O grupo decide ler uma obra por mês e se encontram ao final de cada mês para discutir o livro lido. Cada membro do grupo tem que escolher um dos livros para se aprofundar na leitura.
Incrivelmente, sem perceber, cada um escolhe um livro que trata exatamente das questões que estão enfrentando no momento!
À medida que os meses passam, as relações entre eles vão mudando e as transformações provocadas pelas leituras começam a  aparecer...
Não vou contar mais para não estragar as surpresas...
Um filme delicioso, inteligente, que mostra a importância da literatura e a força transformadora da amizade e do amor.
Recomendo!



   
Orgulho & Preconceito
Inglaterra - 2006

Depois de uma semana agitada como esta, precisamos de uma pausa para relaxar, recarregar as baterias e sonhar...
Nada melhor do que um belo filme!
Esta é uma das versões mais bonitas já realizadas para o cinema deste clássico de Jane Austen.
Keira Knightley está ótima no papel de Elizabeth, uma jovem inteligente e sonhadora que quer mais para sua vida do que arranjar um marido rico. Destoa das demais jovens por ter idéias próprias e não se envergonhar de expressá-las.
Até que conhece o Sr. Darcy, interpretado pelo talentoso  Matthew MacFadyen (um colírio para os olhos com uma voz mais linda ainda...), um homem fechado com ar arrogante, que aparece na pequena cidade.
A relação dos dois é marcada por uma série de mal entendidos, devido ao orgulho dela e ao preconceito dele.
Muitos acontecimentos e reviravoltas na história vão se suceder até que as tensões se dissolvam e surja um amor   intenso, avassalador.
E como em todas as histórias de Jane austen, por mais que existam barreiras, o amor sempre vence...
Do ponto de vista psicológico é muito interessante observar a integridade de caráter dos dois personagens, e do quanto se empenham para serem fiéis ao que acreditam, não fingem  em mostrar uma fachada sedutora para atrair o outro. E isto é justamente o que os atrai...
Com uma das mais belas trilhas sonoras compostas para o cinema (até comprei o CD, não deu para resistir...), fotografia belíssima, figurinos, cenários, atores maravilhosos.

É um daqueles filmes que a gente quer rever sempre!




As Vantagens de Ser Invisível
Dir: Stephen Chbosky
EUA-2012

Este belíssimo filme, adaptado do livro de mesmo nome,  conta a história de Charlie, um jovem solitário que tem dificuldades emocionais desde o suicídio de seu melhor amigo.
Ele vai iniciar o ensino médio, terá de enfrentar uma nova escola e tudo o que isso representa. 
Lá ele conhece a incrível Sam (Emma Watson - maravilhosa! Adeus Hermione...) e o extrovertido Patrick, uma dupla incomum.
Encontra também  um professor de literatura, que percebe nele o potencial para ser um grande escritor.
Descobre um mundo cheio de possibilidades, novas experiências e emoções intensas...
Até aqui parece um roteiro previsível, mas a partir daí  entra a genialidade do autor (que também é o diretor do filme), faz com que uma história pessoal torne-se universal. E nos surpreende várias vezes!
O trio de protagonistas está excelente, com atuações impressionantes, tornando seus personagens tão humanos que no final do filme ficamos com saudades...
Trata de temas importantes como o sentido da vida, amor, amizade,  preconceitos, drogas, sexualidade, segredos familiares e a doença mental.    
Não podemos escolher nosso passado, mas podemos, sim, escolher que futuro desejamos.
Uma história de amor e superação maravilhosa.
Recomendo!






Temple Grandin
USA - 2010

Eu já conhecia a Dra. Temple Grandin e um pouco da sua luta, mas fiquei muito comovida ao ver o filme, é lindo!
Uma mulher brilhante, professora universitária, que ficou famosa por revolucionar a pecuária americana, desenvolvendo sistemas que eliminam o sofrimento dos animais criados para o consumo.
Detalhe: ela é autista. Nasceu na década de 50, quando se acreditava que autismo era uma forma de retardo mental, e as crianças eram simplesmente trancadas em instituições pelo resto de suas vidas.
Mas sua mãe recusou-se a mandá-la para uma instituição e decidiu fazer tudo para que ela tivesse uma vida normal, empenhou-se para ensiná-la a falar (só disse a primeira palavra aos 4 anos!), a ler e a cuidar de si mesma.
Lutou para que a filha pudesse freqüentar a escola e ter uma educação formal. 
Enfrentando várias dificuldades (principalmente devido ao preconceito e ao bullying que sofria constantemente) ela conseguiu graduar-se em zootecnia. 
Embora não suportasse contato humano e nem conseguisse entender as emoções humanas tinha uma profunda empatia e sensibilidade para os sentimentos dos animais.
Além disso, passou a dar palestras por todo o país sobre o autismo, ajudando a melhorar a compreensão dessa condição e a quebrar as barreiras do preconceito.
O filme mostra toda a sua trajetória, utilizando recursos de animação muito bons para mostrar como as coisas aconteciam em sua mente, pois ela só pensava através de imagens concretas.
Com um elenco excelente, direção primorosa, este filme originariamente produzido para o canal HBO, está agora disponível em DVD. Eu encontrei aqui.
É uma lição de vida, de amor, determinação e coragem. 
Nos créditos finais,  podemos ver cenas com a verdadeira Temple Grandin. 
Um filme inesquecível. Recomendo!




A Parte dos Anjos
Escócia/Reino Unido - 2012

Peguei este filme por curiosidade, por ser ambientado na Escócia  e pelo título, e não é que a minha curiosidade me trouxe um presente?
Não consigo definir o gênero do filme, porque tem de tudo um pouco: drama, aventura, comédia, suspense...
Conta a história de Robie, que já esteve envolvido com drogas e pequenos delitos, tendo inclusive cumprido pena na prisão. E novamente se viu numa confusão, só que desta vez não tinha culpa. 
Além disso, sua namorada está grávida, e ele está querendo acertar-se na vida pois quer ser um bom pai, coisa que ele não teve.
O juiz então resolveu dar-lhe desta vez uma pena na forma de serviços comunitários.
Assim ele conhece Harry, o oficial responsável pelo seu grupo de serviços comunitários. Um senhor de bom coração e que acaba cuidando dos rapazes como se fossem seus filhos.
Só  que esse senhor é um apaixonado pelo produto que é o orgulho da Escócia: o whisky. Além de apreciar, é um conhecedor das peculiaridades dessa bebida.
Os jovens acham que whisky é bebida de velhos, não tem o menor interesse por isso.
Até que num dia de folga, Harry os leva para um passeio em uma destilaria, onde fazem uma visita guiada aprendendo sobre essa arte e participam de uma sessão de degustação.
Lá eles ouvem pela primeira vez a lenda da "Parte dos Anjos", que é a grande sacada do filme, mas eu não posso contar senão perde toda a graça...
Qual não é a surpresa quando descobrem que Robie tem um olfato apuradíssimo, capaz de captar as notas mais sutis do aroma e sabor das diferentes variedades de whisky.
Isso não passa despercebido e o jovem passa a estudar tudo o que pode sobre o tema, pois este pode ser um caminho...
Só que a vida não lhe dá trégua e ele tem que nadar contra a correnteza, até que surge uma oportunidade incrível, cheia de riscos, uma aventura pelas Highlands, as Terras Altas da Escócia!
Ele vai criar um plano de mestre para poder dar a grande virada.
Um roteiro inteligente, atores excelentes, bela fotografia, que fala de superação, recomeços, e da força transformadora do amor. Neste caso, o amor de um pai (Robie) pelo seu filho que acaba de nascer e o de Harry, que é o próprio espírito do bom pai encarnado. 
Para as terapeutas: um ótimo exemplo da teoria do aprendizado pela falta, de Winnicott. 
Uma grata surpresa!




Muito Além do Peso
Brasil - 2012

Acabei de assistir a este documentário e fiquei impressionada! Não apenas com a qualidade do filme, mas principalmente com o conteúdo.
Trata da questão da epidemia de obesidade juvenil no Brasil. Mas tem a participação de personalidades internacionais como o chef britânico Jamie Oliver entre outros.
Eles vão aos locais mais recônditos do nosso país entrevistar crianças e suas famílias sobre seus hábitos alimentares, principalmente as famílias com crianças obesas.
Para mim, foi quase surreal ver crianças que nunca tinham visto um legume ou fruta na vida! Quando a entrevistadora colocava uma cenoura, ou uma pera na mão das crianças elas ficavam perplexas! 
Vários especialistas (pediatras, psicólogos, nutricionistas, sociólogos) trazem informações importantes sobre os aspectos de saúde física e mental dessas crianças.
Há também análise das campanhas de marketing dos produtos alimentícios (impressionante a falta de ética de alguns profissionais da publicidade!). 
É interessante ver a reação das crianças quando descobrem a quantidade de açúcar e gordura existente nos alimentos que consomem.
Embora seja um documentário, tem um ritmo ágil e  informações muito interessantes. 
Um filme esclarecedor e importante, mesmo para quem não tem crianças em casa!
Você pode baixá-lo gratuitamente aqui.



As Sessões
USA - 2012

Que filme lindo!
Baseado em fatos reais, conta a história de Mark O'brian (interpretado por John Hawkes - incrível!) um homem que teve paralisia infantil e ficou tetraplégico e dependente de um pulmão artificial para viver. 
Mesmo assim freqüentou a universidade, pois queria tornar-se escritor, e conseguiu! Mas o que ele queria mesmo era experimentar o amor emocional e fisicamente. E isto sim parecia impossível... 
Ele recebe  a tarefa de escrever um artigo para uma revista sobre o sexo e a deficiência física, e isso fez com que ele entrasse em contato com várias pessoas com diversos tipos de deficiência física e suas formas de viver a sexualidade.
Isto o deixou mais perturbado ainda, até que ele consegue encontrar a Cherryl, uma terapeuta sexual (Helen Hunt) e decide tentar realizar seu desejo. O que se torna um verdadeiro desafio...
A terapeuta também está vivendo suas próprias questões, e esse encontro a afeta além do que era previsto.
O que mais me impressionou é que ele conseguia ter senso de humor mesmo nas situações mais difíceis, ele conseguia rir de si mesmo ao invés de cair no drama.
O grande mérito do filme é partir de uma situação particular e atingir o universal. Pois para viver a sexualidade, antes vem a questão de como cada pessoa lida com seu próprio corpo: se o aceita integralmente, como uma dádiva, ou não. Também aborda um pouco a questão dos complexos,  e principalmente o fato das pessoas  não se sentirem merecedoras do amor.
Fala também da influência das religiões, pois Mark é católico e não faz nada sem consultar o padre (que é uma figura interessantíssima !); e a Dra. Cherryl está em vias de se converter ao judaísmo a pedido do marido, mas tem muitas dúvidas.
Curiosidade: A Dra. Cherryl existe mesmo e publicou um livro contando sua vida como terapeuta do sexo e os casos mais emblemáticos. Ela criou uma forma muito particular de trabalhar essa questão, que não é aceita pelos demais  terapeutas. 

O filme é lindo, poético, e traz uma grande lição de amor.
Recomendadíssimo, principalmente para as participantes dos grupos!



Charlie e eu
Dir: David Weaver
Canadá - 2008

Este filme é encantador, lembra aqueles que passavam na Sessão da Tarde quando era criança.
Conta a história de uma garotinha muito inteligente e esperta chamada Casey, que vive com o pai viúvo e o avô. O pai trabalha freneticamente, viaja muito e não dá atenção à filha desde que a esposa faleceu.
Ainda bem que ela tem Lui, sua iguana; e Charlie, um avô bem diferente: irreverente, engraçado, apaixonado por jazz e super especial.
Ela está entrando na adolescência, sente-se diferente das outras meninas, sofre bullying na escola, começa a ter dificuldade de falar em público e está apaixonada por um garoto da sua classe. 
Ufa, não é pouca coisa...
Mas Charlie sempre está lá para acolher, brincar e cuidar dela.
Só que um dia a idade começa a pesar, ele tem um ataque cardíaco e fica muito doente.
Aí começa toda a beleza do filme,  o avô decide aproveitar o final de sua vida da melhor forma possível para ajudar seu filho e sua neta a "aprender a viver".
Não vou contar mais para não perder a graça.
É lindo!

Para terapeutas: Apresenta o arquétipo do Velho Sábio e sua importância de forma bem interessante e lúdica. 
Aborda também a questão da relação pai-filha/avô-neta, como parte fundamental da constituição da psique da mulher. 
E logicamente a questão da finitude, que neste caso, torna-se um ritual de iniciação  (para a menina e seu pai) e um exemplo de vida vivida em plenitude (o avô).
Recomendo!


Em Busca de Um Caminho
(The Way)
Dir: Emilio Estevez
USA - 2010

Fiquei sem palavras...

MA-RA-VI-LHO-SO!

Assista, assista!
(e também aos Extras)

 Traz tantos insights...e se algum dia você pensou em fazer o caminho de Santiago de Compostela então...


por enquanto só encontrei o DVD aqui
mas em breve estará em outras lojas e para locação.
Também pode ser baixado no computador.




Amor é Tudo o Que Você Precisa
Dir: Susanne Bier
Dinamarca/Itália/França/Suécia 
2013

Acabei de assisitr e amei!
Só de ver quantos países estão envolvidos na realização do filme já fica mais interessante, não é? E ainda tem Pierce Brosnam no elenco...
Como o título indica, é uma linda e incomum história de amor. 
Ida, uma cabeleireira dinamarquesa, está aliviada com o término do seu tratamento para um câncer de mama; e feliz, pois a filha se casará dentro de três dias e irá morar na Costa Amalfitana, na Itália.
Parece que a fase ruim passou e ela vai finalmente retomar sua vida.
Mas que surpresa quando chega em casa e encontra o marido fazendo sexo com uma funcionária no sofá da sala! Ele a deixa e anuncia que irá se casar com a moça (que tem quase a idade da filha).
Ela fica muito abalada, confusa, mas decide ir sozinha para a Itália (afinal, é a mãe da noiva!). Ao estacionar no aeroporto, bate em um carro e descobre que o  motorista (Pierce Brosnam), é o pai do noivo. Um homem desagradável, rude, parece que tem raiva do mundo. 
Após uma viagem tensa, eles chegam à Costa Amalfitana, com aquelas paisagens deslumbrantes.
Bom, aí começa um filme inteligente, com várias histórias acontecendo ao mesmo tempo, cheio de surpresas, fugindo do lugar comum.
O filme é ótimo também por abordar de forma bonita e delicada a questão do impacto do câncer de mama na vida da mulher. 
Fala da importância de viver o hoje, de amar, e  de ter coragem de recomeçar apesar de tudo, sem perder a leveza. 
E o final é lindo! 


A Filha do Pai
Dir: Daniel Anteuil
França - 2012

Este é um daqueles filmes inesquecíveis, que já nasceram para se tornar um clássico!
O filme se passa no final da década de 30, às vésperas da segunda guerra mundial. 
Conta a história de Patrícia, a primogênita de Pascal, um homem viúvo e pai de 6 meninas, ele tinha uma vida simples, era um escavador de poços. 
Um homem sensível, honesto e que amava profundamente suas filhas, especialmente Patrícia, a quem ele amava "como amaria a um filho varão que não teve". 
Ela se encarrega de tudo desde que a mãe morreu, cuidando da casa e das irmãs menores e todos os dias ia levar o almoço para o pai nos campos.
Num desses trajetos, ela encontra um jovem  belo e sedutor e a paixão é imediata e intensa, porém fugaz. Dentro de  alguns dias ele parte para a guerra e ela se descobre grávida. 
Naquela época, uma mulher solteira aparecer grávida era o fim de sua vida em sociedade.
O pai, ao ficar sabendo (numa das cenas mais belas do filme), vai junto com a filha conversar com os pais do rapaz, que os humilham e expulsam de sua casa.
Ele então, tem que fazer o possível e o impossível para proteger Patrícia (e o bebê que ela carrega), e também suas outras filhas, do preconceito e discriminação que sofreriam ao ter uma "filha perdida" e uma "criança bastarda" em sua casa. Mesmo que isso implicasse em tomar atitudes drásticas.
Mas a vida dá tantas voltas...
Este é só o começo da história , com uma sucessão de surpresas e  reviravoltas e um final belíssimo, com uma redenção à altura!
Baseado no romance do brilhante Marcel Pagnol, com direção primorosa de Daniel Anteuil (que também faz o papel de Pascal), o elenco conta com os melhores atores franceses, fotografia deslumbrante e trilha sonora idem.
Uma história de amor, perdão e reparação maravilhosa!
Já está disponível em DVD. Assista!


Para terapeutas
Este filme tem muito material para estudo, destaco alguns pontos de interesse:

Nem preciso dizer que o nome do filme em português - A Filha do Pai - (em francês seria: a filha do poceiro) tem conotações muito especiais, dá margem a várias  discussões...não é?

Mas o filme vai muito além da relação entre pai e filha.  Mostra também a relação edípica entre filho e mãe (o belo jovem e sua mãe), mostra um pouco da histeria feminina (mãe do jovem), aborda de forma muito delicada a questão da ambivalência do desejo feminino (atente para a atitude de Patrícia nas cenas de sedução do jovem casal), mas o roteiro  tem dois temas principais: 

1. A questão da perda/reparação e o perdão: 
  (do pai para a filha e desta para ele, de Patrícia para a sogra, de Pascal para a família Mazel). 
    Sobre reparação e perdão
Preste atenção na cena final, em que Pascal espera que Mazel entre com as luvas brancas, e ele o faz. 
Naquela época, usar ou simplesmente levar as luvas brancas num encontro formal era um gesto de cavalheirismo e, portanto, significava que o portador reconhecia o outro como seu igual. 
Perceba o efeito que este gesto sutil tem no semblante de Pascal e o lindo diálogo que se segue entre os dois.

2. A questão da transmissão transgeracional - a quem pertence o bebê? 
E a belíssima resposta na fala do jovem a Pascal: "Ele não é seu, você é que é dele". E na fala de Mazel: "O que podemos fazer nós, os velhos, a não ser cuidar e servir aos jovens que virão?"

Um filme tão rico em material simbólico que seria necessário  um encontro inteiro do grupo de estudos para podermos explorá-lo...
Recomendadíssimo!


Sem Sentido
The Elephant Sighs
Dir: Ed Simpson
EUA - 2012

Este é um filme belíssimo. Delicado e profundo. 
Em português chama-se "Sem Sentido" (não encontrei a foto do DVD com o título traduzido), mas acho que deveria ter sido mantido o título original. O título em inglês: "Os Suspiros do Elefante", além de interessante é o grande segredo do filme.
Inicialmente escrito para o teatro, fez tanto sucesso nos EUA que foi transformado em filme. Mas foram mantidas as marcações de cena e a atuação brilhante dos cinco atores nos dá a sensação de estar assistindo a peça ao vivo.
Conta a história de Joel, um advogado que se muda para uma cidadezinha na zona rural com sua mulher e dois filhos pequenos. 
Ele vive como um autômato, parece que sua vida é vazia, não tem alegria, ele é fechado e não conhece ninguém na nova cidade. Até que encontra Leo, um senhor que o convida a se juntar a um grupo de homens  que se reúne aos sábados, pois um dos membros do grupo faleceu e há uma vaga disponível.
Joel vai, sem saber por que e nem para o quê está indo. Parece tudo absurdo, sem sentido. Mas à medida que ele vai interagindo com cada um daqueles homens, algo vai surgindo.
Joel parece cada vez mais perdido nisso tudo até que na sequência final Leo conta-lhe sobre Os Suspiros do Elefante. E nesse momento algo acontece com Joel que transforma sua forma de estar no mundo.
Foi muito interessante (e instrutivo também!) observar os dramas existenciais masculinos e sua forma de lidar com eles. 
Mas a grande beleza é que à partir das histórias destes cinco homens o filme desvela a condição humana e a busca do sentido da vida, que só pode ser encontrado através do amor, do acolhimento, da comunhão, da real experiência de comunidade humana.
Preste muita atenção na história dos elefantes (é maravilhosa) e principalmente no que acontece depois: é um momento de profunda transformação, um verdadeiro ritual de iniciação para Joel e também para seus amigos.
Um ótimo exemplo da sabedoria das palavras de Jung que lemos no grupo de estudos: "A jóia está na ferida. É através das rachaduras e buracos nas paredes que a luz pode entrar..."
Um filme inesquecível.



A Busca
Dir.: Luciano Moura
Brasil - 2013

Filme belíssimo, que foi selecionado para o Festival de Sundance nos EUA, dirigido com muita poesia, repleto de metáforas sobre a jornada do desenvolvimento masculino e da  importância da relação pai-filho.
Conta a história de Theo, um homem em plena crise da meia idade, que sai pelo mundo à procura de seu filho adolescente que sumiu.
O que ele não sabe, é que o garoto saiu montado em um cavalo, atravessando o Brasil e enfrentando inúmeros desafios com um propósito muito claro: encontrar seu avô paterno.
À medida que a busca de Theo prossegue, ele vai descobrindo as pistas e juntando as peças do quebra-cabeças. Percebe que só conseguirá rever o filho quando resgatar certos aspectos do seu passado.
No caminho, ele vai encontrando pessoas, ouvindo histórias,  vivendo as mais incríveis experiências e tudo isso vai provocando uma transformação profunda.
No final da longa jornada, pai e filho não são mais os mesmos. O garoto tornou-se homem e o homem humanizou-se. 
Atuações maravilhosas de Wagner Moura e Mariana Lima, e a surpresa do talentoso garoto Brás Antunes (filho do Arnaldo Antunes, que fez a bela trilha sonora do filme). E uma participação especial de Lima Duarte.
O final é emocionante, daqueles que trazem lágrimas aos olhos, uma grande redenção!


Análise Psicológica 
(para terapeutas e interessados no estudo da psique)

Sugiro que vejam o filme primeiro para ter a sua própria impressão, depois leiam estas dicas para reflexão e estudo. 

Novamente  o tema dos rituais de passagem nas diferentes fases da vida:
O adolescente que se transforma em homem ao enfrentar os inúmeros desafios e perigos da viagem.
O pai que passa por uma crise ao entrar na metanóia.
O avô que tentar resgatar o passado e se redimir com o filho através do neto.

A questão de Theo, que ao tentar ser tão diferente do seu próprio  pai (que o abandonou) acaba indo para o polo oposto: controlador, impositivo e agressivo.  Vítima do vício da perfeição, acaba desgastando o casamento e a relação com o filho. Ele não olha realmente para o outro. O tempo todo vê a si mesmo refletido. Foi necessária uma longa jornada de elaboração para conseguir mudar esse modo de ser.

Por mais que queira eliminar o pai da sua vida não consegue, pois o seu filho tem vários atributos e talentos do avô.

Surge também a questão do controle, ele achava que conseguiria criar uma bolha ao redor da esposa e do filho , mas descobre (a duras penas) que o desejo e o sentimento não podem ser controlados. Em oposição, temos o lançar-se ao mundo do filho.

Um detalhe interessante: a mãe fica em casa, essa jornada não é dela (embora ela tenha um papel chave na descoberta dos planos do filho). E as cenas da reforma da área de lazer na casa da família que está se desintegrando. Muito bonita a ligação entre as cenas da construção da piscina e a resolução do quebra-cabeças entre pai e filho, marcando também a passagem do tempo.

Belíssima a sequência final, na qual Theo cruza na estrada com o próprio filho (que não o vê), observa as cicatrizes em sua perna, as marcas da sua viagem, mas não o interrompe, permite que conclua e chegue ao seu destino (o sítio do avô). Esta atitude mostra um profundo respeito pelo desejo do outro (filho), agora ele consegue realmente enxergá-lo.

Ele então se adianta para chegar antes, acertar as contas com o passado e poder receber o filho. 

Respondendo à pergunta do título do filme: Até onde um pai pode ir para encontrar seu filho? 
Até o fim do mundo, até os confins de si mesmo, até as profundezas do ser onde tudo se renova.

A cena que fecha o filme, da mãe desfrutando a piscina num dia ensolarado (ela não queria a piscina de jeito nenhum), é uma metáfora das grandes transformações pelas quais todos passaram. E agora a leveza chegou.

Recomendo à todas as participantes dos grupos, em especial às do Grupo de Estudos!



Eu Maior
Brasil - 2013

Quem sou eu? Por que estou aqui? O que é uma vida feliz? Qual o sentido da sua vida? O que você conhece do mundo e do ser humano? Qual o papel da beleza? Da espiritualidade?

Estas e outras perguntas foram respondidas por trinta convidados das mais diferentes áreas: Marcelo Gleiser, Leonardo Boff, Monja Cohen, Roberto Crema, Marcelo Yuka, Araquém Alcântara, Mário Sergio Cortella, Prof. Hermógenes, Glória Arieira, Sri Prem Baba, Vanete Almeida, Letícia Sabatela entre tantos outros.

Ao  longo deste ano fui postando várias entrevistas aqui no blog, já vimos Rubem Alves, Kaka Werá, Laís Bodansky, Marina Silva…

Agora finalmente o longa metragem estreou nos cinemas e também está disponível para o público gratuitamente. Clique aqui para assistir ao filme na íntegra. 

versão final ficou linda, muito bem cuidada, com belas imagens da natureza e animações pontuando as falas dos entrevistados e uma delicada trilha sonora composta especialmente para o filme.


Mas como vi todas as entrevistas separadamente antes do filme ser lançado, percebi que partes maravilhosas foram deixadas de fora (apenas um pequeno trecho de cada uma foi colocada na versão final). 

Clique aqui para ver cada entrevista separadamente. Ao chegar no site, clique no cabeçalho em “entrevistados" e depois clique na foto de quem deseja ver. 

Algumas entrevistas são tão belas  que já valem por si só. 

Fui profundamente tocada pelas falas de Rubem Alves, Vanete Almeida e Kaká Werá, mas todas são tão lindas…é difícil escolher! Cada uma dura 5 minutinhos, mas são verdadeiros banquetes para a alma.

Assista, Assista!


O Monge Equivocado
A vida nos traz tantos presentes, mas às vezes, devido à nossa rigidez mental, não conseguimos percebê-los.
Esta linda animação conta a história de um monge que buscava a iluminação e recebeu uma visita inesperada. Ele se sente irritado pois acha que está sendo perturbado em sua prática.  Mas vai perceber que estava equivocado, e aprender uma grande lição.
Assista, são três minutinhos que valem muito….



Ficamos perseguindo ideais de perfeição e deixamos de desfrutar a beleza e a alegria.
Tudo pode ser mais leve, depende de nossa atitude!
Lindo demais, não é?



Colcha de Retalhos
(How to Make an American Quilt)
Dir: Jocelyn Moorhouse
USA - 1995


Para iniciar a série de filmes deste ano, com clássicos do cinema sobre o universo feminino, a escolha não poderia ter sido outra...

Vamos viver a história de Finn (Winona Ryder), uma jovem que precisa terminar sua tese de mestrado, mas está com um certo bloqueio para escrever. Ela também recebeu uma proposta de casamento e está noiva, mas está em dúvida se deve se casar ou não.

Ela se pergunta: Como viver essa coisa chamada casal e ter espaço para si mesma?

No meio desse turbilhão ela decide ir para o interior, passar o verão na casa da avó e da tia, onde acredita que terá paz para escrever e pensar…

Só que lá ela conhece Leon, um jovem muito sedutor, que a deixa ainda mais dividida!

Encontra o grupo de amigas de sua avó, que se reúne regularmente para fazer quilt (a mão!). Cada trabalho deve ter um tema, contar uma história.

Elas ficam sabendo que Finn está noiva e decidem que seu próximo projeto será uma colcha, como presente de casamento. O tema será: Onde  vive o Amor?

A medida que ela convive com essas mulheres fortes e especiais, algo dentro dela se transforma…ela passa a ouvir seus instintos e  a ter coragem para manter suas escolhas.

Ao mesmo tempo, ao recontar suas histórias através da colcha, as mulheres passam a encarar suas vidas de forma diferente.

Talvez muitas já tenham assistido, mas este é aquele tipo de filme que a cada vez que vemos nos emocionamos e  temos um novo insight.

Um dos filmes mais lindos que já vi. Inesquecível


Um Olhar Psicológico
Para Quem Deseja Aprofundar a Experiência:
sugiro que assista ao filme primeiro, 
e depois use estes tópicos para reflexão

Fazer um post como este envolve muita pesquisa e trabalho, ficarei feliz se me der um retorno dizendo se este olhar psicológico a ajudou a ter uma experiência mais profunda das mensagens do filme.

Finn, uma mulher jovem e voltada para o mundo das idéias, para o mundo racional, está com dificuldades para dar continuidade ao seu trabalho, busca uma perfeição inatingível, e quando vê que não conseguirá alcançá-la, troca o tema da tese. 

Trocou de tema três vezes, e agora irá falar sobre trabalhos manuais realizados por mulheres de diversas culturas. Não é por acaso que decidiu ir para a casa da avó, pois cresceu vendo aquelas mulheres fazendo quilt (uma tradição americana).

Ao voltar para a casa onde passou grande parte da sua infância, busca se reconectar com os sentimentos e suas raízes.

Existe também a questão das escolhas: para escolher bem, é necessário saber perder. Pois escolher algo, é abrir mão das outras alternativas, que poderiam ser boas também…

Cada uma das mulheres do filme tem uma história de amor peculiar, todas as formas de amor aparecem: o amor dos amantes, de mãe e filha, de irmãs, por um animal de estimação, por uma atividade… cada uma delas representada por um dos quadrados da colcha.

Mas também há mágoas e assuntos  não resolvidos entre elas. E o filme mostra como o perdão pode ser libertador e ressignificar toda uma vida que parecia desperdiçada. E na maioria dos casos, não se trata apenas de perdoar o outro, mas a si mesma.

Ao perdoarmos, uma grande quantidade de energia (que era usada para manter a mágoa) é liberada, podendo ter outros usos criativos. O filme representa esta transformação de forma muito poética, através da força do vento, que  mudou tudo de lugar.

Inclusive, espalhou as folhas da tese para todo lado, o que foi um grande teste para Finn: desistir de novo ou lutar para recuperá-la? A avó tem um papel importante neste momento quando questiona a neta sobre “seu desapego”.

Quando ela escolhe lutar pela tese que já tinha escrito, percebemos que realmente amadureceu, e somente agora poderia encarar uma relação duradoura, que exige muitas reconstruções ao longo da vida.

Muito interessante também o diálogo entre Finn e Constance sobre o que acham mais difícil em ser mulher, como isso muda de acordo com a idade e o momento de vida de cada uma.

Outro detalhe poético é que somente quando a colcha está pronta, ou seja, quando ela recebe a prova concreta do amor daquelas mulheres (que ficaram 72 horas trabalhando sem parar para terminá-la), ela pode ir ao encontro de Sam. E ela o encontra enrolada na colcha, ou seja, ela interiorizou todas aquelas  experiências de vida que lhe foram transmitidas por elas e todas as diferentes formas do amor.

Preste atenção ao papel do corvo, que é fundamental. Uma bela metáfora para a ligação com os sentimentos e com os instintos. O pássaro conduz a mulher para o amor da sua vida, mostrando que quando ela deixa a racionalidade um pouco de lado e ouve seu coração, terá mais segurança de suas escolhas e coragem para mantê-las.

São sete mulheres trabalhando na colcha que será ofertada para a oitava mulher (Finn). O  número sete tem um significado especial: um ciclo que se completa (uma semana), um trabalho realizado (sete dias da criação). O número oito aponta para a transcendência: do ordinário para o extraordinário, do cotidiano para o sagrado. 

E todas as mulheres, ao final do filme, transcenderam seu estado de consciência inicial, ampliando a rede de significados de suas vidas.

Atente para a maravilhosa cena final: o mergulho de Sofia (cuja amargura a havia afastado de sua paixão: o salto ornamental). Uma bela metáfora para a força do perdão,   que nos liberta do passado e nos liga ao amor e o momento presente e permite “o mergulhar” na vida, com toda sua beleza e intensidade.



Jung - Questão do Coração
Versátil Vídeo
2014

Esta jóia preciosa ficou fora de catálogo por muitos anos e foi relançada em DVD. Já assisti inúmeras vezes e a cada vez uma descoberta, um novo insight.

É muito mais que uma biografia linear de Carl Gustav Jung, o fundador da Psicologia Analítica, é um retrato apaixonante deste homem, através de imagens  de arquivo e entrevistas com familiares, amigos, antigos pacientes e outros analistas que foram seus contemporâneos.

O documentário foi feito em 1983, quando muitos dos seus discípulos diretos ainda eram vivos. Inclusive há entrevistas com a analista Marie-Louise Von Franz, uma das maiores divulgadoras do pensamento junguiano.

Eles abordam principalmente aspectos menos conhecidos de sua personalidade de forma muito franca, tornando-o incrivelmente humano. 

E ainda há trechos com o próprio Jung falando sobre sua vida, suas descobertas e contando vários casos clínicos. Em certos momentos do filme nos sentimos como se estivéssemos tendo uma aula magna de Psicologia dada por ele!

E nos Extras, ainda há duas entrevistas inteiras concedidas por Jung cerca de um ano antes de sua morte. Uma para a BBC de Londres e outra muito particular, para uma artista plástica que o visitou em Bollingen.

Um material de valor inestimável para profissionais e também para pessoas interessadas em psicologia. 

Recomendadíssimo, principalmente para as participantes dos grupos!