14 de out de 2013

As Madonas Negras da Catedral de Chartres e Uma Experiência Mística.



Venho estudando mitologia e história das religiões há quase 30 anos, sou fascinada pelas formas que os seres humanos encontraram para se conectar com o sagrado.


Faz tempo que estou para contar para vocês minha experiência durante a visita à cripta da Catedral de Chartres, na França, então agora chegou a hora.

Ela é muito famosa pelo labirinto que existe na entrada da nave. Peregrinos do mundo todo vão até lá para percorrê-lo num estado meditativo.

E também pelos deslumbrantes vitrais, que mudam de cores com o decorrer do dia.

Mas o que me levou até lá foi a cripta. Pois minha  minha intenção era visitar os lugares sagrados que um dia foram dedicados à Deusa, que com a expansão da igreja católica  pela Europa foram transformados em igrejas.

A Catedral de Chartres é hoje dedicada à Ascensão da Virgem. Portanto, na cripta não podem existir corpos sepultados como nas outras igrejas, pois segundo o dogma católico, ela foi levada aos céus juntamente com seu corpo físico.

A cripta na verdade contém as ruínas de todos os templos que ocuparam este lugar ao longo dos séculos e  uma igreja que também funciona normalmente com missas e etc. Inclusive a pia batismal está localizada na cripta.
Minha foto ficou muito escura então peguei esta do Google.

Ao tocar a pia batismal que foi feita no ano 600 D.C. tive uma experiência profunda, uma visão ou dejá-vu, de uma experiência que vivi lá em outra época. A experiência foi tão forte que o grupo seguiu e eu fiquei paralisada. Meu marido me viu ficando para trás e bateu esta foto. Sempre achei que esse tipo de experiência fosse fruto da imaginação, mas o que vi e senti foi muito claro e forte.

O local onde a igreja está era sagrado desde 1000 A.C. pois lá havia uma nascente de águas muito puras que tinham conhecido poder medicinal na época. 

Foi construído um poço dedicado à Grande Deusa, fonte de toda a vida. O poço existe até hoje e tem água, mas está tampado com uma grade. Foi muito emocionante ver onde tudo começou...há três mil anos!

Ao lado da fonte havia uma gruta onde os peregrinos e os doentes se abrigavam e rezavam. Restos arqueológicos mostram que a Deusa adorada era uma imagem da Deusa Ísis, o mais forte arquétipo da Grande Mãe, com seu filho Horus nos braços. Ela era feita em madeira que foi escurecendo com o tempo até tornar-se negra.
Imagem em Terracota representando a Deusa Isis e seu filho Horus

Com a expansão do cristianismo o local tornou-se uma capela que passou por muitas transformações ao longo dos séculos até virar catedral. Mas a Deusa permaneceu e foi transformada na Virgem Maria com seu filho Jesus no colo.  Quem já leu "As Brumas de Avalon" conhece toda essa saga.

Na catedral, logo acima, também há uma Virgem Negra.

Uma curiosidade: ao longo da história, quando locais sagrados dedicados ao culto da Deusa na Europa eram transformados em igrejas, eram sempre consagradas à Virgem Maria ou a São Miguel Arcanjo. No topo do teto da Catedral, do lado de fora, há uma imagem de São Miguel Arcanjo.

As Madonas Negras foram temas de alguns encontros do Grupo de Estudos no ano passado.

Agora você deve estar se perguntando: O que é esse negócio de Virgem Negra? 

Como o post já está bem longo, vou responder no próximo, mas adianto que todos os países católicos tem em sua iconografia pelo menos uma Virgem Negra. O que é muito importante do ponto de vista psicológico! 

No Brasil, temos Nossa Senhora Aparecida. O fato dela ser negra não tem nada a ver com ter sido achada no fundo do rio e também não tem a ver com questões raciais.


Agüentem a curiosidade…cliquem aqui para ver a continuação deste post.



15 comentários:

  1. Que coisa forte, Cristiane, essa sua experiencia em Chartres. Lugar especial mesmo; desde que fui lá pela primeira vez não parei mais de ir. Temos muito em comum, parece... beijo!

    ResponderExcluir
  2. Que passeio lindo, Doutora! Eu e o Marildo adoramos igrejas, mesmo não sendo católicos. São sempre lindas, calmas, com um ambiente que evoca a espiritualidade - fico sempre imaginando quantas e quantas pessoas entraram nelas cheios de problemas, de tristezas, de dúvidas e, depois de permanecerem ali por um tempo, saíram dali pelo menos um pouco aliviados do fardo que os oprimia. Não vejo a hora da próxima postagem - cresci ouvindo da minha avó a história da Nossa Senhora Aparecida. Beijão.

    ResponderExcluir
  3. Olá minha amiga, boa tarde! Cristiane estar aqui hoje foi maravilhoso, porque pude aprender um pouquinho sobre esses fatos religiosos e espirituais, a sua experiência deve ter sido incrível, essa vivência acaba ficando marcado para o resto da vida...são momentos só nosso e de difícil explicação, só quem sente sabe. As imagens são lindíssimas, adoro toda essa forma antiga e histórica...Parabéns pelo belo post. Volto para ler sobre a Virgem negra.
    Beijos com carinho e tenha um linda e abençoada semana.
    Marilene

    ResponderExcluir
  4. Que lugar lindo, flor... quando eu fui a Brasília, visitei a LBV e lá tinha um labirinto igual. :) beijinhos

    ResponderExcluir
  5. Oi Cris,
    Que beleza de lugar e que viagem interessante, foi bom ver você, mesmo de longe rsss
    bjs

    ResponderExcluir
  6. A Catedral de Chartres é lindíssima, me lembro bem dos vitrais, e do labirinto, claro, mas percebo agora que minha visita ficou completa com as suas explicações, ou melhor, quase, pois ainda me resta o mistério da Virgem Negra, espero ansiosa,

    Abraço, boa noite

    ResponderExcluir
  7. Cris:
    Deve ter sido uma experiência marcante e reveladora, né.
    Também gosto bastante de mitologia e história geral.
    Lendo seu post, lembrei-me que quando era criança, assistia a um seriado chamado Poderosa Ísis e depois brincava na escola com as amigas.
    Desde pequena já me considerava uma menina super-poderosa, rsrsrssr.
    Bjs.:
    Sil

    ResponderExcluir
  8. Oi minha flor!

    Vi seu chamado e vim mais que correndo rsrs.
    Olha...estou assim...em êxtase! Meu coração não aguenta de emoção a cada vez que a Deusa Ísis é citada em algum lugar! Nunca tinha ouvido falar que havia uma imagem dela na França...e se ouvi deletei sei lá pq!
    Eu só tenho a te agradecer por compartilhar sua experiência espiritual conosco, e por colocar pequenas jóias tão importantes sobre a Deusa que muita gente desconhece.
    Um dos meus sonhos é ir para a França, ainda não tive a oportunidade, tbm tive um dejá-vu que envolve uma vida minha em Paris...mas foi de uma época até que recente e sem a conotação religiosa, mas sim de guerra.
    Olha, eu te digo, se um dia nos encontrarmos vai rolar um tricô danado flor rsrsrsrs.
    Gratidão pela partilha, de fato vc tinha razão, eu amei!!!
    Aguardarei as cenas dos próximos capítulos rsrs, sobre as lindas Deusas negras.
    Beijinhos querida.

    Flores e Luz.

    ResponderExcluir
  9. Já vi, já estive lá, já me emocionei, já me senti ínfima!
    Beijo

    ResponderExcluir
  10. Olá Cristiane,

    Deve ter sido lindo viver uma experiência assim. O que conta é muito bonito e esclarecedor. Fui a catedral como turista comum, com curiosidade histórica, achei linda e imponente. Estou adorando aprender mais. Beijos

    ResponderExcluir
  11. De arrepiar esta sua experiência, Cris.
    Li Brumas aos 20 anos e reli este ano (20 anos depois) com a mesma intensidade. Este livro me apresentou a Deusa e mexe muito comigo. Ano passado finalmente li a Tenda Vermelha. Não sei bem como expressar, mas todo esse lado feminino do sagrado é extremamente significativo para mim. É como estar em casa.

    ResponderExcluir
  12. Oi Cris, minha xará!!!
    Seus posts trazem muito conhecimento, eu amei!
    Li sobre as dicas de filmes, e estou curiosa sobre as Virgens Negras!!!
    Bem, feliz em estar aqui!!
    Um beijo grande e boa semana!
    http://criscriacoisas.blogspot.com.br
    http://www.facebook.com/criscriacoisas
    crisbijouxs@gmail.com

    ResponderExcluir
  13. Cris, criaturinha maravilhosa... que post lindo! Fiquei emocionada com tudo o que li, principalmente com o relato de sua experiência, seu dejá-vu. Morei alguns anos na Europa, e, assim como você, também vivi experiências fortíssimas e lindas. Reconhecer lugares e pessoas, requer muita sensibilidade, é preciso estar conectado com as energias do céu e da alma. Acredito sim em vidas passadas. Acredito que já tenha vivido em outros corpos, pertencido a outras raças e desbravado outros espaços. Fu criada na fé cristã, mas não sei, tenho muitas dúvidas... Hoje simpatizo com o budismo e a doutrina espírita. Vou esperar pelo próximo post ansiosa... e também vou buscar mais informações sobre a Deusa!
    Beijos minha querida,
    Denise - dojeitode.blogspot.com

    ResponderExcluir
  14. Cris,
    Que engraçado como nunca frequentei a igreja católica eu não sabia que existiam uma Virgem Negra.
    E que post maravilhoso, cheio de conhecimento e cultura. Adorei,

    Um beijo.

    ResponderExcluir
  15. Oi, Cris! Meu Pai, estou arrepiada! Eu também tenho paixão por Chartres, pelas virgens negras e agora começo a compreender porque tenho a sensação de conhecer você há tanto tempo...Bem, para ter ideia, esse ano, antes da minha jornada em Portugal, estive na França, porque queria fazer a caminhada pelo labirinto. E fiz! Foi uma coisa indescritível! Fui novamente à cripta e consegui fotografar o fundo do poço. Vou lhe mostrar algumas fotos. Gratidão por toda essa sabedoria! Bjs

    ResponderExcluir